Empresariado industrial do Rio completa 40 meses de pessimismo

Os empresários industriais do Rio de Janeiro estão pessimistas há 40 meses consecutivos, segundo o Índice de Confiança do Empresário Industrial Fluminense (Icei-RJ) pelo Sistema Firjan; em julho, o índice voltou a cair e chegou aos 46 pontos (abaixo de 50 pontos indica pessimismo); na esfera estadual, a crise fiscal, diante da demora na implementação do Regime de Recuperação dos Estados, e a piora nos indicadores de segurança pública agravaram a falta de confiança. Em âmbito nacional, pesaram o aumento da instabilidade política e a fragilidade da recuperação da atividade econômica

Indústria Bahia
Indústria Bahia (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jornal do Brasil - Os empresários industriais do Rio de Janeiro estão pessimistas há 40 meses consecutivos, segundo o Índice de Confiança do Empresário Industrial Fluminense (Icei-RJ), divulgado nesta sexta-feira (28.07), pelo Sistema Firjan. Em julho, o índice voltou a cair e chegou aos 46 pontos (abaixo de 50 pontos indica pessimismo).

Na esfera estadual, a crise fiscal, diante da demora na implementação do Regime de Recuperação dos Estados, e a piora nos indicadores de segurança pública agravaram a falta de confiança. Em âmbito nacional, pesaram o aumento da instabilidade política, que colocou em cheque a capacidade do governo de aprovar as reformas propostas, e a fragilidade da recuperação da atividade econômica, evidenciada pelas seguidas revisões para baixo do crescimento do PIB e pela elevada taxa de desemprego.

Assim como no Rio de Janeiro, houve piora na confiança dos empresários industriais no restante do país. Porém, ainda assim, o Icei-BR aponta otimismo, com 50,6 pontos. 

O Icei-RJ, em julho, mostrou a perda de confiança em seus dois componentes. O indicativo Condições Atuais teve 38,3 pontos, enquanto que Expectativas teve 49,8 pontos. Os números mostram a continuidade de um maior pessimismo dos empresários em relação à economia fluminense do que em relação à economia brasileira.

Ainda assim, os industriais seguem confiantes com o desempenho de suas empresas nos próximos seis meses, sendo este o único indicador otimista, com 54,4 pontos. Há a expectativa de aumento da demanda por produtos e consequente compra de matéria-prima. No entanto, os empresários não demostram a intenção de aumentar o número de empregados ou de retomar os investimentos, dada a ociosidade na indústria e a incerteza quanto ao ritmo de recuperação da atividade econômica brasileira e fluminense.

Confira aqui o estudo completo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247