Escola Jesuíta anula prova com conteúdo crítico de Gregório Duvivier a Bolsonaro

Um grupo de pais reclamou de texto com críticas feitas pelo ator e escritor Gregório Duvivier ao governo de Bolsonaro em uma prova aplicada ao 2º ano do ensino médio do Rede Jesuíta de Educação - Colégio Loyola, em Belo Horizonte (MG)

247 - Um grupo de pais reclamaram de conteúdo partidário em uma prova aplicada ao 2º ano do ensino médio do Colégio Jesuíta Loyola, em Belo Horizonte (MG), e a direção da escola optou por anular o exame. 

Conforme noticiou o portal Correio Braziliense, as reações foram por causa de textos do ator e escritor Gregório Duvivier e do cientista político Mathias Alencastro, ambos colunistas do jornal Folha de S. Paulo, com críticas ao governo de Jair Bolsonaro. Elas constavam em prova de Língua Portuguesa aplicada na última segunda-feira (7).

A prova do Loyola não pedia que alunos opinassem sobre os textos, mas que respondessem a questões fechadas relacionadas à língua portuguesa. As reclamações dos pais de alunos, que viralizaram nos grupos de WhatsApp, recaem principalmente sobre o texto do ator e escritor Gregório Duvivier. 

No artigo que consta no teste de Língua Portuguesa, o autor aponta que o governo é um “gatilho poderoso para a depressão” e que o presidente “parece eleito pela indústria farmacêutica para vender antidepressivo”. Também afirma que “se tivesse votado nesse governo contra a corrupção estaria comprando um chicotinho da Opus Dei e passaria dias me mutilando em praça pública”.

Em comunicado endereçado às famílias, o diretor do colégio, Juliano Oliveira, informa que a avaliação foi anulada e que a escola está levantando informações sobre o contexto da aplicação do exame para tomar providências cabíveis. Também reafirmou o “posicionamento apartidário” na condução do processo educativo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247