Firjan repudia emenda em pacote anticorrupção

O Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio) afirmou que repudia e se "une às manifestações de indignação" contra a emenda do pacote anticorrupção pela Câmara dos Deputados, que prevê punição a juízes, a procuradores e a promotores que cometerem abuso de autoridade; de acordo com a instituição, a Justiça se tornou "a mesma para todos" por conta da Operação Lava Jato, e vê agora tal "conquista" em risco; "Guardião da democracia, o MP precisa de autonomia e independência em sua missão de defesa dos cidadãos e do patrimônio público, como na Operação Lava Jato", diz a nota

O Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio) afirmou que repudia e se "une às manifestações de indignação" contra a emenda do pacote anticorrupção pela Câmara dos Deputados, que prevê punição a juízes, a procuradores e a promotores que cometerem abuso de autoridade; de acordo com a instituição, a Justiça se tornou "a mesma para todos" por conta da Operação Lava Jato, e vê agora tal "conquista" em risco; "Guardião da democracia, o MP precisa de autonomia e independência em sua missão de defesa dos cidadãos e do patrimônio público, como na Operação Lava Jato", diz a nota
O Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio) afirmou que repudia e se "une às manifestações de indignação" contra a emenda do pacote anticorrupção pela Câmara dos Deputados, que prevê punição a juízes, a procuradores e a promotores que cometerem abuso de autoridade; de acordo com a instituição, a Justiça se tornou "a mesma para todos" por conta da Operação Lava Jato, e vê agora tal "conquista" em risco; "Guardião da democracia, o MP precisa de autonomia e independência em sua missão de defesa dos cidadãos e do patrimônio público, como na Operação Lava Jato", diz a nota (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - O Sistema Firjan afirmou nesta sexta-feira (2) que repudia e se "une às manifestações de indignação" contra a desfiguração do pacote anticorrupção pela Câmara dos Deputados. De acordo com a instituição, a Justiça se tornou "a mesma para todos" graças à Operação Lava-Jato, e vê agora tal "conquista" em risco.

"Guardião da democracia, o MP precisa de autonomia e independência em sua missão de defesa dos cidadãos e do patrimônio público, como na Operação Lava Jato", diz a nota.

O procurador Deltan Dallagnol criticou, nesta semana, o pacote anticorrupção, que incluiu punição a promotores, a juízes e a procuradores que cometerem abuso de autoridade.

Segundo o texto da Firjan, "o país não aceita retrocessos no combate à corrupção. Graças à Lava-Jato, a Justiça se tornou a mesma para todos. Tal conquista, percebida por todos os brasileiros, está em risco. A sociedade civil manifestou imediatamente seu repúdio ao que foi aprovado pela Câmara".

"Isto representa um alerta ao Senado, que agora vai apreciar o projeto. É preciso dizer não a esta ameaça à independência do Judiciário, um dos pilares da democracia", continuou. "O Sistema FIRJAN expressa sua solidariedade aos magistrados e procuradores brasileiros. Contra a intimidação e a favor da democracia, da ética, da transparência e da Justiça".

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247