Garotinho ameaça rever contratos de concessões no Rio

Deputado e pré-candidato ao governo do Rio, Anthony Garotinho promete, se eleito, promover projeto de revisão das concessões do estado; ele citou especificamente três concessionários: a Supervia, a Rota 116 - que liga Itaboraí a Macuco - e o consórcio que administra o Maracanã

Deputado e pré-candidato ao governo do Rio, Anthony Garotinho promete, se eleito, promover projeto de revisão das concessões do estado; ele citou especificamente três concessionários: a Supervia, a Rota 116 - que liga Itaboraí a Macuco - e o consórcio que administra o Maracanã
Deputado e pré-candidato ao governo do Rio, Anthony Garotinho promete, se eleito, promover projeto de revisão das concessões do estado; ele citou especificamente três concessionários: a Supervia, a Rota 116 - que liga Itaboraí a Macuco - e o consórcio que administra o Maracanã (Foto: Gisele Federicce)

Rio 247 – Pré-candidato ao governo do Rio, o deputado federal Anthony Garotinho (PR) anunciou nesta terça-feira, durante reunião com moradores da Zona Norte, que, se for eleito, irá promover o projeto de revisão das concessões do estado. Ele citou especificamente três concessionários: a Supervia, a Rota 116 – que liga Itaboraí a Macuco, passando por Nova Friburgo – e o consórcio que administra o estádio do Maracanã.

O parlamentar justificou que no caso da Supervia, a empresa "presta um péssimo serviço à população" e, "em vez de ser punida, ganha mais 28 anos de concessão". A declaração foi uma crítica à gestão do governador Sergio Cabral. No caso da Rota 116, o ex-governador citou que tem quatro pontos de pedágio em 138 quilômetros de extensão ao preço de R$ 4,50 (em cada ponto) para carro de passeio e R$ 9 para ônibus e caminhões.

"O contrato original previa que a concessionária Rota 116 seria obrigada a fazer o contorno de Nova Friburgo em contrapartida à cobrança do pedágio. No entanto, a empresa foi desobrigada a fazer a obra mas as praças de pedágio continuam lá", protestou. Garotinho alfinetou ainda: "aí tem maracutaia".

Dizendo-se indignado com a falta de fiscalização do estado e das agências controladoras do estado, Garotinho criticou também a obra do Maracanã. "O Maracanã custou ao estado R$ 1,5 bilhão para depois da obra Cabral com sua concessão dar o estádio para o amigo dele, Eike Batista. Vamos entrar na justiça e anular essa concessão", ameaçou.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247