Governo do Rio defende liberação de cassinos

O governo do estado do Rio de Janeiro, comandado por Wilson Witzel, defende a insgalação de cassinos no país, supostamente para evitar a pereda de divisas. Em 2018, o então candidato Jair Bolsonaro disse que era contrário à medida, defendendo porém que a decisão deveria ser tomada em cada estado

O governador Wilson Witzel
O governador Wilson Witzel (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O secretário estadual de Turismo do Rio de Janeiro, Otávio Leite, defendeu nesta quinta-feira (12) a instalação gradual de cassinos no Brasil como forma de evitar a “perda de divisas”.  

Atualmente, dois projetos de lei que dispõem sobre a exploração de jogos de azar no país tramitam no Congresso Nacional - um na Câmara dos Deputados e outro no Senado, informa o Valor.  

“Acho que tem de ser feito de maneira prudente, até para avaliar com o tempo. Mas é necessário introduzi-lo”, disse o secretário.  

Em palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), ainda como pré-candidato ao Planalto, em 2018,  Jair Bolsonaro se disse contrário à liberação de cassinos no país, mas acenou com a possibilidade de cada Estado decidir sobre o tema. 

Um dos obstáculos seria a resistência da bancada evangélica à liberação dos jogos de azar. Bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, é favorável aos cassinos com a justificativa da atração de investimentos e da geração de empregos. 

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), informou que o estado poderá investir até R$ 100 milhões em promoção turística ao longo de 2020. O montante é quatro vezes superior ao total desembolsado neste ano (cerca de R$ 20 milhões) para esta finalidade. 


 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247