“Hacker” diz que não concordava com a Lava Jato

Em depoimento à Polícia Federal, o "hacker" de Araraquara Walter Delgatti Neto afirmou que encaminhou as mensagens ao jornalista Glenn Greenwald, de forma anônima, voluntária e sem cobrança financeira, e disse ter agido neste caso por não concordar com os caminhos da Lava Jato

247 - A Polícia Federal diz ter elementos que comprovariam que Walter Delgatti Neto, preso na última terça-feira (23) sob suspeita de atuar como hacker, foi a pessoa que repassou ao site The Intercept Brasil as conversas de autoridades da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Em depoimento, Delgatti, um dos quatro presos pela PF, disse que encaminhou as mensagens ao jornalista Glenn Greenwald, fundador do site, de forma anônima, voluntária e sem cobrança financeira.

Em depoimento, Delgatti afirmou ainda ter agido neste caso por não concordar com os caminhos da Lava Jato. A apuração da PF é a de que o grupo hackeava contas do Telegram e contas bancárias por dinheiro. 

A perícia criminal da Polícia Federal copiou dados guardados pelo suspeito preso em plataformas de nuvens na internet que sugerem veracidade em pelo menos algumas das declarações de Delgatti até aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247