Idoso morto atropelado estava prestes a se formar em escola de alfabetização de adultos do MST

Luís Ferreira tinha 72 anos e trabalhava como pedreiro; ele morava na ocupação desde o início de sua criação e estudava na escola de alfabetização de jovens e adultos que funcionava no local

(Foto: Facebook)

247 - O idoso que morreu atropelado no acampamento do MST 'Marielle Vive', em Valinhos, interior de São Paulo, na manhã desta quinta-feira 18 morava na ocupação desde o início de sua criação e estudava na escola de alfabetização de jovens e adultos que funcionava no local.

Luís Ferreira tinha 72 anos e trabalhava como pedreiro. Ele morreu após um motorista avançar em alta velocidade sobre o grupo que manifestava na Estrada dos Jequitibás para reivindicar ao poder público melhorias nos serviços básicos da comunidade, como acesso a água.

Segundo apurou reportagem do portal G1, o pedreiro não atuava como liderança do MST, mas era participativo nas atividades da comunidade. Segundo a professora, Cícera, o idoso estava há um ano na escola e iria se formar em 15 aulas.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247