Insumos para produção da Coronavac estão parados na China e podem atrasar produção de vacinas, diz Butantan

Segundo Dimas Covas, o Instituto aguarda, no momento, a liberação de cerca de 5 mil litros da matéria-prima

Dimas Covas
Dimas Covas (Foto: GOVSP)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Metrópoles - O Instituto Butantan aguarda a liberação de insumos por autoridades chinesas para seguir com a produção da Coronavac. Segundo o diretor, Dimas Covas, no momento, são cerca 5 mil litros da matéria-prima que estão parados na China. Até o fim do mês, a expectativa é um que novo lote com o volume próximo ao primeiro chegue ao país.

Como cada litro da matéria-prima pode resultar em 1 milhão de doses, o instituto prevê envasar cerca de 11 milhões de doses com a chegada do insumo. O Butantan recebeu 6 milhões de doses prontas vindas da China, que tiveram autorização para uso emergencial nesse domingo (17/1) pela Agência Nacional da Vigilância Sanitária (Anvisa). Nesta segunda-feira, o instituto fez um novo pedido de uso emergencial para mais 4,8 milhões de doses envasadas no país.

“Os 4 milhões já estão prontos, mas tem em andamento mais um lote, que pode ser terminado na quarta-feira [20/1], totalizando os 4,8 milhões. Preocupa, sim, a chegada da matéria-prima, para não parar o processo de produção. Se chegar antes do fim do mês, manteremos o cronograma de entrega de vacinas”, disse.

Continue lendo no Metrópoles

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email