Jandira: “se tivesse o mínimo de escrúpulo, Temer sairia do cargo”

Para a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), o governo Michel Temer virou um "conluio de interesses privados"; juntamente com o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), ela  protocolou dedido de investigação contra o presidente Michel Temer por seu envolvimento no caso Geddel; "O presidente da República é um réu confesso. Ele confessou sua proatividade no sentido de defender os interesses de Geddel Vieira Lima", afirmou; "Se Temer tivesse o mínimo de escrúpulo, deixaria a Presidência e devolveria ao povo o direito de decidir"

Para a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), o governo Michel Temer virou um "conluio de interesses privados"; juntamente com o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), ela  protocolou dedido de investigação contra o presidente Michel Temer por seu envolvimento no caso Geddel; "O presidente da República é um réu confesso. Ele confessou sua proatividade no sentido de defender os interesses de Geddel Vieira Lima", afirmou; "Se Temer tivesse o mínimo de escrúpulo, deixaria a Presidência e devolveria ao povo o direito de decidir"
Para a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), o governo Michel Temer virou um "conluio de interesses privados"; juntamente com o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), ela  protocolou dedido de investigação contra o presidente Michel Temer por seu envolvimento no caso Geddel; "O presidente da República é um réu confesso. Ele confessou sua proatividade no sentido de defender os interesses de Geddel Vieira Lima", afirmou; "Se Temer tivesse o mínimo de escrúpulo, deixaria a Presidência e devolveria ao povo o direito de decidir" (Foto: Aquiles Lins)

Portal Vermelho - A Oposição foi à Procuradoria Geral da República (PGR) nesta segunda-feira (28) para entrar com representação contra Michel Temer.

Os líderes da Minoria na Câmara e no Senado, Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Lindbergh Farias (PT-RJ), respectivamente, encabeçam pedido de investigação do presidente da República por crimes de concussão e advocacia administrativa.

Para Feghali, "se Temer tivesse o mínimo de escrúpulo, deixaria a Presidência e devolveria ao povo o direito de decidir, pois esse governo virou um conluio de interesses privados".

"O presidente da República é um réu confesso. Ele confessou sua proatividade no sentido de defender os interesses de Geddel Vieira Lima. De fato, há dois crimes. Mas há um crime constitucional, que é o crime de Responsabilidade", afirmou a deputada. 

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247