Juiz censura Marcelo D2 e o obriga a apagar tuítes contra Doria sobre massacre de Paraisópolis

Desembargador Luiz Antônio de Godoy, da 1.ª Câmara de Direito Privado do TJSP atendeu a pedido da defesa do governador e afirmou que D2 cometeu ‘possível abuso do direito de liberdade de expressão’ ao relacionar o governador João Doria com a ação da PM que matou nove pessoas em Paraisópolis

Marcelo D2 e Doria
Marcelo D2 e Doria
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O desembargador Luiz Antônio de Godoy, da 1.ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que o rapper MArcelo D2 apague três tuítes com críticas ao governador João Doria relacionadas ao massacre de Paraisópolis, que deixou nove pessoas mortas após ação da PM em baile funk, na madrugada do dia 1°. 

As mensagens afirmavam que Doria seria o ‘mandante’ da ação e um ‘assassino’ devido a declarações do próprio tucano no ano passado à Rádio Bandeirantes. À época, o governador afirmou que a partir de janeiro deste ano ‘a polícia ia atirar para matar’ (leia mais no Brasil 247).

O magistrado atendeu a pedido da defesa do governador e afirmou que D2  cometeu ‘possível abuso do direito de liberdade de expressão’, e proibiu D2 de vincular o nome do tucano como ‘mandante’ da ação da Polícia Militar.  

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247