Justiça bloqueia R$ 224 mi de Cabral, Adriana e mais 9 acusados na Operação Calicute

Juiz federal Marcelo Bretas determinou o bloqueio de R$ 224 milhões do ex-governador do Rio vde Janeiro Sérgio Cabral, da sua mulher Adriana Ancelmo e outros nove condenados no âmbito da Operação Calicute pelos crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa; "Decreto o perdimento do produto e proveito dos crimes, ou do seu equivalente, (...) até o limite requerido pela acusação, a saber, o valor de R$ 224 milhões", determinou Bretas 

Juiz federal Marcelo Bretas determinou o bloqueio de R$ 224 milhões do ex-governador do Rio vde Janeiro Sérgio Cabral, da sua mulher Adriana Ancelmo e outros nove condenados no âmbito da Operação Calicute pelos crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa; "Decreto o perdimento do produto e proveito dos crimes, ou do seu equivalente, (...) até o limite requerido pela acusação, a saber, o valor de R$ 224 milhões", determinou Bretas 
Juiz federal Marcelo Bretas determinou o bloqueio de R$ 224 milhões do ex-governador do Rio vde Janeiro Sérgio Cabral, da sua mulher Adriana Ancelmo e outros nove condenados no âmbito da Operação Calicute pelos crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa; "Decreto o perdimento do produto e proveito dos crimes, ou do seu equivalente, (...) até o limite requerido pela acusação, a saber, o valor de R$ 224 milhões", determinou Bretas  (Foto: Paulo Emílio)

Rio 247 - O juiz federal Marcelo Bretas determinou o bloqueio de R$ 224 milhões do ex-governador do Rio vde Janeiro Sérgio Cabral, da sua mulher Adriana Ancelmo e outros nove condenados no âmbito da Operação Calicute pelos crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa. "Decreto o perdimento do produto e proveito dos crimes, ou do seu equivalente, nos termos do art. 91. parágrafos 1º e 2º do CP, incluindo aí os numerários bloqueados em contas e investimentos bancários e os montantes em espécie apreendidos em cumprimento aos mandados de busca e apreensão, nos valores descritos na denúncia e nas medidas cautelares de sequestro conexas, conforme requerido pelo Ministério Público em suas alegações finais, até o limite requerido pela acusação, a saber, o valor de R$ 224 milhões", determinou Bretas em seu despacho.

O bloqueio alcança de forma solidária todos os envolvidos no crime de organização criminosa. Já para os condenados pela prática de lavagem de dinheiro, o bloqueio será limitado ao montante objeto do crime.

Os advogados de Cabral e Adriana Ancelmo afirmaram de irão recorrer da decisão "Sabemos que o juiz Marcelo Bretas, que já não tem imparcialidade para julgar nenhuma causa do ex-governador, vai condenar. De maneira que nós estamos preparando os recursos para os órgãos de jurisdição superior. O Tribunal ainda não decidiu sobre nosso pedido de afastamento do juiz das causas", disse o advogado de Cabral, Marcelo Roca.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247