Justiça de SP considera prescritos 8 dos 12 crimes de Paulo Preto, o operador do PSDB

Apontado como operador do PSDB em São Paulo, Paulo Preto responderá apenas por ter recebido propina da empresa Construcap pelo programa Várzeas do Tiête, e por lavagem de dinheiro no exterior, ficando de fora as acusações de propinas das empreiteiras Andrade Gutierrez, Camargo Correa e Odebrecht

247 - A Justiça Federal de São Paulo considerou prescritos 8 dos 12 crimes dos quais Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, ex-diretor da Dersa e apontado como operador da propina do PSDB, é acusado. De acordo com decisão do juiz Diego Paes Moreira, da 6ª Vara Federal de São Paulo, além dos oito crimes prescritos, dois delitos também prescreveram parcialmente.

Paulo Preto é apontado como operador do PSDB em governos tucanos de São Paulo e acusado em uma de suas ações na Lava Jato paulista. Ele está preso preventivamente no Complexo Médico de Pinhais, no Paraná. Paulo foi condenado a 145 anos de prisão por desvios de recursos do Rodoanel Sul em primeira instância.

Entre os crimes prescritos, Paulo Preto não vai responder por vantagens indevidas das empreiteiras Andrade Gutierrez, Camargo Correa e Odebrecht. Com isso, o ex-diretor da Dersa responderá por ter recebido propina da empresa Construcap pelo programa Várzeas do Tiête, e por lavagem de dinheiro no exterior.

Com informações do Conjur.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247