Justiça paralisa investigação contra sócio de Flávio Bolsonaro

A Justiça do Rio de Janeiro suspendeu as investigações contra o sócio do senador Flávio Bolsonaro na apuração do esquema de rachadinha

(Foto: Reprodução)

247 - O desembargador Antônio Carlos Nascimento Amado, da Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), determinou a paralisação da investigação sobre o empresário Alexandre Ferreira Dias Santini, sócio do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) na empresa Bolsotini Chocolates e Café.

O sócio do filho de Jair Bolsonaro foi alvo de busca e apreensão em operação realizada em dezembro pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ) que incluiu outros 26 alvos suspeitos de envolvimento em um esquema de rachadinha no gabinete de do então deputado estadual Flávio Bolsonaro.

A paralisação das investigações vale somente para Santini, que impetrou habeas corpus argumentando que não constava como investigado no processo criminal e, por isso, não poderia ter sido incluído nos pedidos de busca e apreensão.

A decisão não impede que o Ministério Público analise o material apreendido na loja da qual Santini e Flávio Bolsonaro são sócios. Trata-se de uma franquia de chocolates da Kopenhagen em um shopping do Rio de Janeiro.

O MP investiga se a empresa foi usada por Flávio Bolsonaro para lavar dinheiro desviado do seu gabinete na Alerj. De acordo com investigações, o gabinete de Flávio na Alerj teria repassado cerca de R$ 2 milhões para o assessor Fabrício Queiroz, que também realizou grande quantidade de saques em dinheiro vivo e transações com dinheiro em espécie.

Com informações do jornal O Globo.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247