Lindbergh cita Wassef, Fabio Wajngarten e ironiza Bolsonaro: 'conhecereis a verdade e a verdade o prenderá'

O deputado mencionou a Bíblia e cobrou punição a Jair Bolsonaro por conta das investigações sobre um esquema ilegal de venda e recompra de joias

Lindbergh Farias
Lindbergh Farias (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O deputado federal Lindbergh Farias (PT-RJ) cobrou a prisão de Jair Bolsonaro (PL) após o advogado Frederick Wassef afirmar, em depoimento à Polícia Federal, que o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten foi quem lhe pediu que recomprasse o Rolex do ex-mandatário nos Estados Unidos. Presente dado por governo de outro país e que deveria pertencer ao Estado brasileiro, não podendo ser incorporado a patrimônio pessoal.

"Bomba. Wajngarten pediu para recomprar Rolex nos EUA, diz Wassef à PF Como dizia Bolsonaro: 'Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará'. Mas no caso do Bolsonaro, a verdade o encarcerará!", escreveu o parlamentar na rede social X. Durante o seu governo, o ex-ocupante do Planalto mencionou em algumas ocasiões o versículo 32 do capítulo 8 da bíblia, do evangelho de João 8:32.

continua após o anúncio

A Polícia Federal (PF) brasileira investiga junto ao FBI as ilegalidades cometidas por Bolsonaro e aliados. FBI é a sigla para Federal Bureau of Investigation, ou Departamento Federal de Investigação dos EUA.

A PF recebeu da instituição norte-americana uma troca de e-mails entre o tenente-coronel Mauro Cid e a loja Precision Watches, onde o item foi recomprado nos EUA. Nela, o coronel informou à empresa que o pagamento seria feito em espécie e que Wassef realizaria a aquisição. O militar foi ajudante de ordens de Bolsonaro.

continua após o anúncio

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247