Lindbergh: denúncia contra Lula foi para ‘desviar foco’ de fatos graves

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) repudiou, em Plenário, a decisão do PGR, Rodrigo Janot, de apresentar denúncia contra os ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula, além de seis outros integrantes do PT, pelo crime de organização criminosa; de acordo com o parlamentar, por trás da medida está o interesse de "desviar o foco" de outros fatos graves, como a "desmoralizada delação" que a PGR firmou com o empresário Joesley Batista, da JBS; assista

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) repudiou, em Plenário, a decisão do PGR, Rodrigo Janot, de apresentar denúncia contra os ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula, além de seis outros integrantes do PT, pelo crime de organização criminosa; de acordo com o parlamentar, por trás da medida está o interesse de "desviar o foco" de outros fatos graves, como a "desmoralizada delação" que a PGR firmou com o empresário Joesley Batista, da JBS; assista
O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) repudiou, em Plenário, a decisão do PGR, Rodrigo Janot, de apresentar denúncia contra os ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula, além de seis outros integrantes do PT, pelo crime de organização criminosa; de acordo com o parlamentar, por trás da medida está o interesse de "desviar o foco" de outros fatos graves, como a "desmoralizada delação" que a PGR firmou com o empresário Joesley Batista, da JBS; assista (Foto: Leonardo Lucena)

Agência Senado - O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) repudiou nesta quarta-feira (6), em Plenário, a decisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de apresentar denúncia contra os ex-presidentes Dilma Roussef e Luiz Inácio Lula da Silva, além de seis outros integrantes do PT, pelo crime de organização criminosa.  Para o senador, por traz da medida está o interesse de "desviar o foco" de outros fatos graves, como a "desmoralizada delação" que a Procuradoria Geral da República (PGR) firmou com o empresário Joesley Batista, do grupo JBS.

Pela denúncia da PGR, Lula seria o “idealizador” da organização criminosa, beneficiada por propinas que chegaram a R$ 1,485 bilhão. Lindbergh, que se disse “tomado pela indignação”, afirmou que a denúncia não  contém provas. Estranhou ainda que ela tenha ocorrido justo no momento em que a PGR está no foco das atenções, por conta do envolvimento de um procurador federal em fatos que comprometem a delação de Joesley.

- Chamo a atenção que a denúncia foi só de organização criminosa; não está lá na denúncia corrupção e nenhuma outra ação. Acho que foi, sinceramente, para desviar o foco. Foi para desviar a atenção! Em um caso como esse, no momento em que o Ministério Público estava numa situação de defensiva, vamos fazer o quê? Atacar os suspeitos de sempre, o PT – acusou.

O senador lembrou ainda que, no mesmo dia, a Polícia Federal encontrou R$ 51 milhões em um apartamento que teria sido emprestado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, próximo ao presidente Michel Temer. Ele lembrou ainda a decisão da Câmara dos Deputados de negar autorização para que o Supremo Tribunal Federal processasse Temer, que teve seu assessor Rodrigo Rocha Loures flagrado com uma mala de dinheiro. Também mencionou o senador Aécio Neves (PSDB-MG), flagrado em conversa sobre entrega de dinheiro, por parte do mesmo empresário, efetuada por meio de um primo do parlamentar.

O senador situou como parte de tramas contra seu partido a capa do jornal O Globo desta quarta-feira. Abaixo da manchete "Janot denuncia Lula, Dilma e PT por organização criminosa", está estampada uma foto das malas de dinheiro atribuído a Geddel, mas sem menção ao nome do ex-ministro. A seu ver, quem olha a capa de passagem tende a ligar o dinheiro pego no apartamento aos membros do PT.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247