Manobra de Cunha permitiu superfaturamento de R$ 80 milhões em Furnas

É o que aponta investigação da Polícia Civil no Rio de Janeiro, que mira superfaturamento e manobra do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por meio de medida provisória aprovada por 'encomenda' em 2007; Operação Barão Gatuno, um desdobramento da Lava Jato, tem como base denúncias feitas pelo ex-senador e delator Delcídio Amaral; ação atingiu ainda o operador do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), Dimas Toledo, alvo de condução coercitiva; indicado por Aécio para a diretoria da estatal, Toledo era acusado de pagar um mensalão a deputados da chamada 'lista de Furnas'

É o que aponta investigação da Polícia Civil no Rio de Janeiro, que mira superfaturamento e manobra do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por meio de medida provisória aprovada por 'encomenda' em 2007; Operação Barão Gatuno, um desdobramento da Lava Jato, tem como base denúncias feitas pelo ex-senador e delator Delcídio Amaral; ação atingiu ainda o operador do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), Dimas Toledo, alvo de condução coercitiva; indicado por Aécio para a diretoria da estatal, Toledo era acusado de pagar um mensalão a deputados da chamada 'lista de Furnas'
É o que aponta investigação da Polícia Civil no Rio de Janeiro, que mira superfaturamento e manobra do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por meio de medida provisória aprovada por 'encomenda' em 2007; Operação Barão Gatuno, um desdobramento da Lava Jato, tem como base denúncias feitas pelo ex-senador e delator Delcídio Amaral; ação atingiu ainda o operador do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), Dimas Toledo, alvo de condução coercitiva; indicado por Aécio para a diretoria da estatal, Toledo era acusado de pagar um mensalão a deputados da chamada 'lista de Furnas' (Foto: Gisele Federicce)

247 - A Polícia Civil calcula que uma manobra do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) tenha permitido um superfaturamento de R$ 80 milhões em Furnas, estatal que foi alvo da operação Barão Gatuno, um desdobramento da Lava Jato, nesta quinta-feira 8 no Rio de Janeiro. 

Segundo as investigações, Cunha atuou para incluir uma medida provisória por 'encomenda' em 2007. Os investigadores veem "fortes indícios" dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A operação tem como base denúncias feitas pelo ex-senador e delator Delcídio Amaral (PT-MS).

A ação atingiu também Dimas Toledo, operador do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). Indicado por Aécio para a diretoria da estatal, Toledo foi alvo de condução coercitiva nesta manhã. Ele era acusado de pagar um mensalão a deputados da chamada 'lista de Furnas'.

Entenda melhor o esquema de Aécio no setor elétrico na reportagem de Joaquim Carvalho, no Diário do Centro do Mundo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247