Marinha vai atuar na tomada da Rocinha

Blindados Lagarta Anfbio sero operados por fuzileiros navais; na noite da quarta 9, PF prende comboio de traficantes que fugia da favela escoltado por policiais

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O ministro da Defesa, Celso Amorim, assinou na quarta-feira 9 a permissão para a participação da Marinha na operação que deve ocorrer no fim de semana na favela da Rocinha, no bairro de São Conrado, na zona sul do Rio, com o objetivo de iniciar a implementação da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) na comunidade. Na noite a quarta-feira, agentes da Polícia Federal interceptaram um comboio de traficantes, saído da Rocinha, que tentava fugir do bloqueio. Detalhe: os carros dos bandidos eram escoltados por policiais, que foram presos, em veículos oficiais.

Segundo a Marinha, serão usados os carros blindados Lagarta Anfíbio, que serão operados por fuzileiros navais. O governador Sérgio Cabral havia pedido a autorização há cerca de dez dias.

Hoje houve operações policiais preparatórias na Rocinha. A informação de que policiais poderiam dar fuga ao chefe do tráfico Antônio Bonfim Lopes, o Nem, levou agentes da Corregedoria Interna da Polícia Civil à favela.

De acordo com o informe, ele fugiria na viatura de uma delegacia especializada da Polícia Civil, que realizaria uma operação na região hoje. Agentes da Corregedoria estiveram nos acessos à favela, mas a suposta operação da polícia não aconteceu e ninguém foi preso.

Este foi o segundo relato de uma suposta participação policial na facilitação da fuga dos traficantes às vésperas da ocupação da Rocinha. Na terça-feira, o Serviço de Inteligência da Polícia Civil recebeu informações de que PMs ajudaram os traficantes a retirar armas e drogas da favela. A Secretaria de Segurança Pública do Rio informou que não comentará o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email