Ministro do STJ livra tucano Paulo Preto de condenação a 145 anos de prisão

Operador do PSDB, Paulo Preto tinha sido condenado por formação de quadrilha e peculato, livra-se de sentença de 145 anos de prisão por decisão de um juiz do Superior Tribunal de Justiça

www.brasil247.com - Paulo Preto, operador do PSDB paulista
Paulo Preto, operador do PSDB paulista (Foto: Agência Senado)


247 - O ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Reynaldo Soares da Fonseca anulou a condenação do engenheiro Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, operador do PSDB, a 145 anos de prisão pelos crimes de formação de quadrilha e peculato.  

Paulo Preto foi condenado em março deste ano pela 5ª Vara Federal de São Paulo em uma das ações da Lava Jato.

A condenação do ex-diretor da Dersa (estatal paulista de rodovias) e operador do PSDB no estado ocorreu por desvio de R$ 7 milhões de verbas de indenização destinadas a famílias que viviam no traçado do Rodoanel, uma obra do governo paulista. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Agora, o ministro do STJ determinou que a ação penal volte à fase de alegações finais para que o réu tenha garantido o direito de pronunciar-se por último, depois das manifestações dos delatores. As informações são da Folha de S.Paulo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A anulação da condenação se baseia em decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que em outubro último estabeleceu que em um processo com réus delatores e delatados, os delatados devem apresentar suas alegações finais depois dos delatores. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email