Morador sobre explosão em prédio: "foi um horror"

Mauro Lopes de Araújo, de 44 anos, acordou no meio de um monte escombros, no Bairro de São Cristóvão, zona norte da cidade do Rio de Janeiro; sua casa foi completamente destruída por uma explosão nesta madrugada; Mauro teve que ser retirado pelo Corpo de Bombeiros; "Quando acordei, já estava caindo tudo em cima de mim. Ficamos embaixo dos escombros, eu e meu pai. Foi um horror. Acredito que tenha ficado meia hora embaixo dos escombros", disse o morador, que já recebeu alta do Hospital Municipal Souza Aguiar

Mauro Lopes de Araújo, de 44 anos, acordou no meio de um monte escombros, no Bairro de São Cristóvão, zona norte da cidade do Rio de Janeiro; sua casa foi completamente destruída por uma explosão nesta madrugada; Mauro teve que ser retirado pelo Corpo de Bombeiros; "Quando acordei, já estava caindo tudo em cima de mim. Ficamos embaixo dos escombros, eu e meu pai. Foi um horror. Acredito que tenha ficado meia hora embaixo dos escombros", disse o morador, que já recebeu alta do Hospital Municipal Souza Aguiar
Mauro Lopes de Araújo, de 44 anos, acordou no meio de um monte escombros, no Bairro de São Cristóvão, zona norte da cidade do Rio de Janeiro; sua casa foi completamente destruída por uma explosão nesta madrugada; Mauro teve que ser retirado pelo Corpo de Bombeiros; "Quando acordei, já estava caindo tudo em cima de mim. Ficamos embaixo dos escombros, eu e meu pai. Foi um horror. Acredito que tenha ficado meia hora embaixo dos escombros", disse o morador, que já recebeu alta do Hospital Municipal Souza Aguiar (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

Mauro Lopes de Araújo, de 44 anos, acordou nesta segunda-feira (19) no meio de um monte escombros, no Bairro de São Cristóvão, zona norte da cidade do Rio de Janeiro. Sua casa foi completamente destruída por uma explosão nesta madrugada. Mauro teve que ser retirado pelo Corpo de Bombeiros.

Ele foi uma das sete pessoas resgatadas pelo Corpo de Bombeiros depois que uma explosão, provavelmente provocada por um vazamento de gás, destruiu uma pizzaria, um restaurante, uma drogaria e várias casas nos fundos desses estabelecimentos.

"Quando acordei, já estava caindo tudo em cima de mim. Ficamos embaixo dos escombros, eu e meu pai. Foi um horror. Acredito que tenha ficado meia hora embaixo dos escombros", disse o morador, que já recebeu alta do Hospital Municipal Souza Aguiar.

Outro morador das casas atingidas, Leonardo Sangy, de 21 anos , também relatou momentos de medo depois da explosão. “Só deu tempo de ligar para os bombeiros, levantar e sair. Ouvíamos gritos com pedidos de ajuda , mas não tinha como ajudar”, disse.

Além das mais de dez casas e dos três estabelecimentos comerciais destruídos, cerca de 40 imóveis foram danificados com a própria explosão ou com o deslocamento do ar. Em uma tenda montada pela prefeitura, moradores estão fazendo um cadastro.

A dona de casa Jorleia da Silva, de 57 anos, que mora próximo ao local da explosão contou que sua filha correu para o quarto do bebê, assim que vidros do prédio da frente estourarem. “Parecia o fim do mundo”, afirmou.

A Delegacia de São Cristóvão (17a DP), responsável pelas investigações, já começou a ouvir os comerciantes e moradores. Na manhã de hoje, cinco peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli estiveram no local da explosão.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247