Moro chama de “revanchismo” as provas de que coordenou o MPF na ação contra Lula

Homenageado pelo governo de São Paulo, o ministro Sérgio Moro classificou como "revanchismo" as revelações da Vaza Jato; declaração foi dada no mesmo dia em que uma testemunha que Moro indicou a Deltan Dallagnol confirmou que foi procurada pelo Ministério Público Federal, provando sua inteferência na acusação contra Lula

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, participa de entrega de Medalha da Ordem do Ipiranga ao Ministro Sérgio Moro. Local: São Paulo/SP. Data: 28/06/2019. Foto: Governo do Estado de São Paulo
O governador do Estado de São Paulo, João Doria, participa de entrega de Medalha da Ordem do Ipiranga ao Ministro Sérgio Moro. Local: São Paulo/SP. Data: 28/06/2019. Foto: Governo do Estado de São Paulo (Foto: Luis Blanco)

247 - O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, foi homenageado nesta sexta-feira, 28, pelo governador João Doria com a Medalha Ordem do Ipiranga, no grau Grã-Cruz. É a maior honraria do governo de São Paulo.

Em seu discurso, Moro minimizou as revelações feitas pelo The Intercept Brasil e classificou de "revanchismo" o fato dele ter coordenado a atuação do Ministério Público Federal na farsa jurídica que condenou o ex-presidente Lula. 

Declaração foi dada no mesmo dia em que a revista Veja publicou reportagem que mostra que uma testemunha que Moro indicou ao procurador Deltan Dallagnol confirmou que foi procurada pelo Ministério Público Federal, provando sua inteferência na acusação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (leia mais no Brasil 247). 

Assista à fala de Sérgio Moro:

Ao vivo na TV 247 Youtube 247