Morre aos 99 anos o banqueiro Aloysio de Andrade Faria

Faria era dono de um grupo de empresas que engloba, por exemplo, a rede de hotéis Transamérica, emissoras de rádio e a gigante de material de construção C&C

Aloysio de Andrade Faria
Aloysio de Andrade Faria (Foto: Reprodução/TV Globo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Morreu na madrugada desta terça-feira (15) em sua fazenda em Jaguariúna, no interior de São Paulo, aos 99 anos de idade o banqueiro  Aloysio de Andrade Faria, segundo o jornal Estado de S. Paulo. Ele completaria 100 anos em novembro.

Faria era dono de uma fortuna avaliada em US$ 1,7 bilhão, cerca de R$ 9 bilhões, e era o banqueiro mais velho da lista da revista Forbes. Ele foi ainda responsável pela condução do banco Real, vendido em 1998. 

O banqueiro era dono de um conglomerado de empresas que engloba a rede de hotéis Transamérica, emissoras de rádio, a fabricante de água mineral Águas da Prata, a gigante de material de construção C&C e a produtora de óleo de palma Agropalma, entre outros.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247