MP volta a pedir prisão de libertado por Gilmar

Rogério Onofre, ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro-RJ), investigado pela Operação Ponto Final por fraudes em licitações de ônibus no Rio de Janeiro, teve a prisão pedida novamente pela Procuradoria-Geral da República; solto por Gilmar Mendes na última sexta-feira, Onofre teria ameaçado outros dois investigados de morte, segundo a PGR

Rogério Onofre
Rogério Onofre (Foto: Charles Nisz)

Rio 247 - A Procuradoria da República voltou a pedir a prisão do ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro-RJ) Rogério Onofre de Oliveira na Operação Ponto Final – que investiga um esquema no setor dos transportes do Rio.

A PGR justificou o novo pedido ao juiz federal Marcelo Bretas, que cuida dos processos da Lava Jato no Rio, por "novos fatos", que segundo os procuradores "demandam a decretação de nova prisão", informa reportagem publicada no blog de Fausto Macedo.

Seriam eles, segundo a PGR, "ameaças de morte" de Rogério Onofre a outros investigados. O ex-presidente do Detro foi preso em 3 de julho. A defesa de outro investigado, Nuno Coelho, entregou aos investigadores uma mensagem e um áudio com as ameaças de Onofre. Segundo os advogados desses outros investigados, a liberdade de Rogério Onofre é um "risco".

Coelho disse que foi ameaçado pessoalmente pelo ex-presidente do Detro. “Que teria dito que ‘somente não o havia matado pois Nuno devia dinheiro a ele’, ‘sei aonde a sua família e do Guilherme moram’, ‘já investiguei vocês’; que Dayse não chegava a ser agressiva, mas apoiava seu marido; que também foi ameaçado pelo Rogério Onofre por telefone, via whatsapp”, relatou.

Guilherme Vialle, outro investigado, confirmou o depoimento de Nuno e pediu para não ficar detido no mesmo presídio onde estava Onofre, por temer por sua vida.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247