MPF pede bloqueio de R$ 1 bi de Nuzman, 'Rei Arthur' e ex-sócia do empresário

Ministério Público Federal (MPF) pediu o bloqueio de até R$ 1 bilhão pertencentes ao presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, do empresário Arthur Cesar Soares de Menezes Filho, conhecido como "Rei Arthur", e de sua ex-sócia Eliane Pereira Cavalcante; segundo o MPF, o objetivo é ressarcir danos derivados de fraude que resultou na escolha do Rio de janeiro como sede da Olimpíada Rio 2016; pedido de bloqueio inclui bens como apartamentos, carros, joias e até um jato particular

Ministério Público Federal (MPF) pediu o bloqueio de até R$ 1 bilhão pertencentes ao presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, do empresário Arthur Cesar Soares de Menezes Filho, conhecido como "Rei Arthur", e de sua ex-sócia Eliane Pereira Cavalcante; segundo o MPF, o objetivo é ressarcir danos derivados de fraude que resultou na escolha do Rio de janeiro como sede da Olimpíada Rio 2016; pedido de bloqueio inclui bens como apartamentos, carros, joias e até um jato particular
Ministério Público Federal (MPF) pediu o bloqueio de até R$ 1 bilhão pertencentes ao presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, do empresário Arthur Cesar Soares de Menezes Filho, conhecido como "Rei Arthur", e de sua ex-sócia Eliane Pereira Cavalcante; segundo o MPF, o objetivo é ressarcir danos derivados de fraude que resultou na escolha do Rio de janeiro como sede da Olimpíada Rio 2016; pedido de bloqueio inclui bens como apartamentos, carros, joias e até um jato particular (Foto: Paulo Emílio)

247 - O Ministério Público Federal (MPF) pediu o bloqueio de até R$ 1 bilhão pertencentes ao presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman,; do empresário Arthur Cesar Soares de Menezes Filho, conhecido como "Rei Arthur"; e de sua ex-sócia Eliane Pereira Cavalcante. Segundo o MPF, o objetivo é ressarcir danos derivados de fraude que resultou na escolha do Rio de janeiro como sede da Olimpíada Rio 2016.

Para os procuradores, os investigados teriam auferido lucros por meio de corrupção e, por isso início da manhã desta terça-feira (5), agentes da Polícia Federal e do Ministério Público estão cumprindo mandados de busca e apreensão e de prisão de indivíduos suspeitos de comprar jurados da eleição que escolheu o Rio como sede da Olimpíada Rio 2016. Batizada de Unfair Play, a operação é um novo desdobramento da da Lava Jato no Rio de Janeiro.

Os agentes chegaram à residência de Nuzman no início da manhã para cumprir mandados de busca e apreensão. Também estão sendo realizadas diligencias na sede do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016. Nuzman será intimado a depor ainda nesta terça na sede da PF. Os mandados, que incluem um pedido de prisão preventiva contra o empresário Arthur César de Menezes Soares Filho, conhecido como Rei Arthur foram expedidos pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247