MPF pediu suspeição de Gilmar para julgar empresário Jacob Barata

Devido à relação próxima de Gilmar Mendes com a família Barata —o ministro foi até padrinho de casamento da filha do empresário—, o Ministério Público Federal no Rio de Janeiro havia pedido que Rodrigo Janot defendesse a suspeição de Gilmar Mendes nos processos envolvendo a Fetranspor e o empresário Jacob Barata Filho

Gilmar Mendes família barata
Gilmar Mendes família barata (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro havia pedido que Rodrigo Janot defendesse a suspeição de Gilmar Mendes nos processos envolvendo a Fetranspor e o empresário Jacob Barata Filho.

O MPF no Rio de Janeiro relacionou links de reportagens mostrando fotos do ministro ao lado de Beatriz Barata, filha do empresário, de quem Gilmar foi padrinho de casamento.

O pedido foi encaminhado a Rodrigo Janot em 25 de julho. Como Gilmar Mendes decidiu liminarmente a soltura dos presos, não chegou a ouvir a PGR, o que impediu Janot de se manifestar.

Gilmar Mendes mandou soltar o empresário nesta quinta-feira. Barata, porém, permanece preso após decisão do juiz federal Marcelo Bretas. 

As informações são da coluna de Lauro Jardim em O Globo.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email