Não há necessidade de preservar corpo de miliciano Adriano, decide Justiça do Rio

Na decisão do juiz Gustavo Kalil, da 4ª Vara Criminal do TJ-RJ, que atende ao pedido de liberação para a cremação, também foi descartada a necessidade de novos exames periciais no copor do miliciano Adriano da Nóbrega

Defesa de miliciano pede absolvição.
Defesa de miliciano pede absolvição. (Foto: Reprodução)

247 - A Justiça do Rio de Janeiro decidiu que não há mais necessidade de o corpo do ex-policial do Bope e miliciano Adriano de Nóbrega ser preservado. A informação é do jornalista Lauro Jardim

Na decisão do juiz Gustavo Kalil, da 4ª Vara Criminal do TJ-RJ, também foi descartada a necessidade de novos exames periciais. No entanto, a liberação para a cremação do corpo de Adriano é da comarca de Esplanada, na Bahia, cidade onde o miliciano morreu.

Na semana passada, a Justiça fluminense havia proibido a cremação do corpo do miliciano ligado ao gabinete de Flávio Bolsonaro. Também ordenou que ele fosse preservado no IML.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247