Não há necessidade de preservar corpo de miliciano Adriano, decide Justiça do Rio

Na decisão do juiz Gustavo Kalil, da 4ª Vara Criminal do TJ-RJ, que atende ao pedido de liberação para a cremação, também foi descartada a necessidade de novos exames periciais no copor do miliciano Adriano da Nóbrega

Defesa de miliciano pede absolvição.
Defesa de miliciano pede absolvição. (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Justiça do Rio de Janeiro decidiu que não há mais necessidade de o corpo do ex-policial do Bope e miliciano Adriano de Nóbrega ser preservado. A informação é do jornalista Lauro Jardim

Na decisão do juiz Gustavo Kalil, da 4ª Vara Criminal do TJ-RJ, também foi descartada a necessidade de novos exames periciais. No entanto, a liberação para a cremação do corpo de Adriano é da comarca de Esplanada, na Bahia, cidade onde o miliciano morreu.

Na semana passada, a Justiça fluminense havia proibido a cremação do corpo do miliciano ligado ao gabinete de Flávio Bolsonaro. Também ordenou que ele fosse preservado no IML.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247