No Rio, bandidos prometem "uma semana de terror" após morte de traficante

Supostos criminosos prometem matar 50 policiais nesta semana para retaliar a morte do traficante Celso Pinheiro Pimenta, conhecido como "Playboy", o mais procurado nos últimos anos no Rio de Janeiro; "Hoje a ordem é matar polícia (sic). Não vai ficar assim a morte do Playboy. Uma semana direto de terror no Rio de Janeiro", diz um bandido; outro criminoso avisa: "Vamos ter que vingar a morte do irmão (Playboy). Não vai ter casa de show, não vai ter pagode. Vamos metralhar a p... toda. A gente não quer saber de morador. Vamos passar fogo em todo mundo", diz

Supostos criminosos prometem matar 50 policiais nesta semana para retaliar a morte do traficante Celso Pinheiro Pimenta, conhecido como "Playboy", o mais procurado nos últimos anos no Rio de Janeiro; "Hoje a ordem é matar polícia (sic). Não vai ficar assim a morte do Playboy. Uma semana direto de terror no Rio de Janeiro", diz um bandido; outro criminoso avisa: "Vamos ter que vingar a morte do irmão (Playboy). Não vai ter casa de show, não vai ter pagode. Vamos metralhar a p... toda. A gente não quer saber de morador. Vamos passar fogo em todo mundo", diz
Supostos criminosos prometem matar 50 policiais nesta semana para retaliar a morte do traficante Celso Pinheiro Pimenta, conhecido como "Playboy", o mais procurado nos últimos anos no Rio de Janeiro; "Hoje a ordem é matar polícia (sic). Não vai ficar assim a morte do Playboy. Uma semana direto de terror no Rio de Janeiro", diz um bandido; outro criminoso avisa: "Vamos ter que vingar a morte do irmão (Playboy). Não vai ter casa de show, não vai ter pagode. Vamos metralhar a p... toda. A gente não quer saber de morador. Vamos passar fogo em todo mundo", diz (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - Supostos criminosos prometem matar 50 policiais nesta semana para retaliar a morte do traficante Celso Pinheiro Pimenta, conhecido como "Playboy", o mais procurado nos últimos anos no Rio de Janeiro. Ele estava foragido desde 2009 e foi morto no sábado (08), durante uma operação. Após a morte do traficante, na região de Costa Barros, no Complexo da Pedreira, Zona Norte continua com o clima tenso - o local é ocupado pelo Comando de Operações Especiais da Polícia Militar.

Em áudios divulgados nas redes sociais, supostos criminosos garantem que haverá retaliação. "A meta dessa semana é matar 50 polícia (sic) para vingar a morte do amigo. Hoje a ordem é matar polícia (sic). Não vai ficar assim a morte do Playboy. Uma semana direto de terror no Rio de Janeiro", diz um bandido.

Em outra gravação, um criminoso ameaça atacar casas de show localizadas na Zona Norte. "Vamos ter que vingar a morte do irmão (Playboy). Não vai ter casa de show, não vai ter pagode. Vamos metralhar a p... toda. A gente não quer saber de morador. Vamos passar fogo em todo mundo", diz.

O traficante Playboy era ambicioso, e pretendia conquistar áreas com Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), como o Morro do Andaraí, também na zona norte. Para atingir o seu objetivo, ele teria montado uma base na comunidade Vila Isabel, que fica no Morro dos Macacos, no complexo de mesmo nome.

O bandido também teria outra meta, a de que expulsar rivais da facção criminosa do Terceiro Comando Puro, para controlar o tráfico em quatro favelas do Complexo da Maré, também na zona norte do Rio.

Confira os áudios divulgado pelo jornal O Dia: 

A Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio informou, nessa segunda-feira (10), que está analisando todas as gravações. De acordo com a pasta, há muitas informações falsas. A secretaria reafirmou que não haverá recuo no processo de ocupação do Complexo da Pedreira e pediu cautela para a população. Segundo a secretaria Municipal de Educação, cerca de 5.750 alunos foram prejudicados com os intensos conflitos entre policias e traficantes.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email