No Rio, rendimento do trabalhador é o maior desde 2003

O rendimento mdio do trabalhador fluminense cresceu 3,7% em fevereiro; tambm o maior registrado pelo IBGE entre as seis regies metropolitanas pesquisadas; pesquisa mensal revela R$ 1.805,00 como salrio mdio; resultados positivos devem ser creditados aos eventos mundiais com sede no estado



Rio_247 - O estado do Rio de Janeiro tem acumulado índices de crescimento no desenvolvimento, na indústria e comércio. Os bons números podem ser creditados a investimentos públicos, por meio do governo federal, ou ainda os programas sociais de geração de renda do próprio estado. O novo pólo petroquímico em Itaboraí, que está em construção, a chegada de indústrias que estão sendo instaladas - ou ainda vão chegar, como a fábrica da Coca-Cola em São Gonçalo - são outros pontos. Entretanto, a razão principal que reúne todos estes argumentos são os eventos internacionais que a capital fluminense vai sediar. A Rio+20, conferência mundial de sustentabilidade que acontecerá em junho deste ano, é o primeiro de uma série que deve culminar com a os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos em 2016.

O rendimento médio dos trabalhadores fluminenses bateu recorde em fevereiro, com crescimento de 3,7% mensal e 0,4% anual. Segundo a Pesquisa Mensal do Emprego do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Rio registrou o melhor salário desde fevereiro de 2003: R$ 1.805. Comparado a janeiro deste ano, o aumento da renda foi o maior entre as seis regiões metropolitanas pesquisadas, e superou o índice de 2,6% registrado em São Paulo, que apresenta a maior renda do País.

De acordo com o IBGE, que pesquisou também o ganho de poder de compra em Belo Horizonte, Salvador, Porto Alegre e Recife, a renda fluminense é maior que a atual média nacional, que é de R$ 1.699,70. A taxa de ocupação no Rio também cresceu em relação ao ano passado, passando de 51,6% para 52%. Os setores que apresentaram alta de empregabilidade entre fevereiro de 2011 e 2012 são Construção em geral, de 7,4% para 7,9%, e Comércio, de 18,5% para 18,6%.

Eventos vão contribuir para geração de renda

Nos últimos cinco anos, o Rio tem registrado aumento da renda média do trabalhador. A variação do rendimento médio real do trabalho principal, recebido por no setor privado com carteira de profissional assinada, ficou em torno de 20% entre 2003 e 2010. Neste período, o setor extrativo mineral, que corresponde às atividades petrolíferas, cresceu 130%. 

"O Rio tem uma das rendas médias per capita mais altas do Brasil. Os Jogos de 2016 e a Copa de 2014 também devem contribuir para geração de renda, bem como as políticas de incentivo, que atraem novos investidores", disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno. 

O programa Renda Melhor – que transfere renda entre R$ 30 e R$ 300 a beneficiários do Bolsa Família, do governo federal, que vivem com menos de R$ 100 per capita – ajudará a aumentar ainda mais o poder de compra do trabalhador fluminense. Este ano, os municípios do estado serão contemplados com R$ 250 milhões. Em 2011, a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos incluiu no Renda Melhor 300 mil famílias.

"O programa, além de melhorar imediatamente a renda das famílias, tem impacto positivo na economia dos municípios onde é implantado, tendo em vista a injeção de recursos. Este mês, já ultrapassamos a marca de R$ 21 milhões", disse o subsecretário de Integração de Projetos Sociais da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, Antonio Claret.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247