Nove pessoas morrem pisoteadas em baile funk de Paraisópolis

De acordo com informações da polícia, as vítimas foram pisoteadas em um baile funk na favela de Paraisópolis, zona sul de São Paulo, após uma "ação de controle de distúrbios civis", para dispersão do baile, feita pela Polícia Militar usando "munições químicas"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Pelo menos nove pessoas morreram pisoteadas na madrugada deste domingo (1º) em um baile funk na favela de Paraisópolis, zona sul de São Paulo. De acordo com informações da polícia, as vítimas foram pisoteadas após uma "ação de controle de distúrbios civis" — ​ou seja, para dispersão do baile — feita pela Polícia Militar usando "munições químicas". Ao todo, 10 pessoas estão envolvidas.

Segundo o boletim policial, a ação de dispersão ocorreu porque duas pessoas atiraram contra policiais militares da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas) e entraram no baile funk, onde haveria cerca de 5.000 pessoas.

As equipes da Força Tática chamadas para dar apoio teriam sido recebidas com garrafadas e pedradas.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247