Novo diretor-geral da PF troca chefia no Rio, cargo de interesse da família Bolsonaro

Braço direito de Alexandre Ramagem, Rolando Souza mudou a chefia da superintendência da PF no RJ, medida que o próprio Sergio Moro anunciou que Bolsonaro faria

Rolando Alexandre de Souza
Rolando Alexandre de Souza (Foto: Isac Nóbrega/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O novo diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Souza - braço direito de Alexandre Ramagem - decidiu trocar a chefia da superintendência do Rio de Janeiro, onde há um foco de interesse da família de Jair Bolsonaro para impedir investigações. 

Carlos Henrique Oliveira, atual comandante do estado, foi convidado para ser o diretor-executivo, número dois na hierarquia do órgão, informa a coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

O Rio de Janeiro é o estado onde a família Bolsonaro começou sua carreira e há denúncias de corrupção envolvendo Flávio Bolsonaro - da época em que ele era deputado estadual na Alerj (Caso Queiroz). Segundo o Painel da Folha de S. Paulo, Ramagem, que só não assumiu o cargo por intervenção do STF, também pretendia trocar a chefia no Rio.

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, denunciou - ao anunciar que deixaria o governo federal - que Bolsonaro queria interferir na PF para impedir investigações que atingissem sua família e aliados políticos. O ex-juiz da Lava Jato anunciou que ele queria mudanças no Rio de Janeiro e Pernambuco.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247