Operação com Forças Armadas prende 11 pessoas no Rio

Policiais e agentes das Forças Armadas realizam uma operação para cumprir 31 mandados de prisão contra traficantes do Morro dos Macacos, na Zona Norte do Rio; o objetivo desarticular o tráfico de drogas na comunidade; o principal alvo é Leandro Nunes Botelho, o Scooby, considerado o chefe do tráfico de drogas na região; ele tem ligação nas disputas entre traficantes na comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio


Policiais e agentes das Forças Armadas realizam uma operação para cumprir 31 mandados de prisão contra traficantes do Morro dos Macacos, na Zona Norte do Rio; o objetivo desarticular o tráfico de drogas na comunidade; o principal alvo é Leandro Nunes Botelho, o Scooby, considerado o chefe do tráfico de drogas na região; ele tem ligação nas disputas entre traficantes na comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio
Policiais e agentes das Forças Armadas realizam uma operação para cumprir 31 mandados de prisão contra traficantes do Morro dos Macacos, na Zona Norte do Rio; o objetivo desarticular o tráfico de drogas na comunidade; o principal alvo é Leandro Nunes Botelho, o Scooby, considerado o chefe do tráfico de drogas na região; ele tem ligação nas disputas entre traficantes na comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - Policiais e agentes das Forças Armadas realizam, na manhã desta sexta-feira (6), uma operação para cumprir 31 mandados de prisão contra traficantes do Morro dos Macacos, na Zona Norte do Rio. Até as 8h40, 11 pessoas tinham sido presas. O objetivo desarticular o tráfico de drogas na comunidade.

Um principal alvo é Leandro Nunes Botelho, o Scooby, considerado o chefe do tráfico de drogas na região. Ele tem ligação direta nas disputas entre traficantes na comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio, ocupada em setembro pelas Forças Armadas após várias trocas de tiros. 

“Eles não só participaram da primeira invasão (à Rocinha) como hoje eles são, na verdade, a segunda comunidade mais importante da ADA (facção criminosa) que existe na Zona Norte. Então, há uma possibilidade dessa comunidade realmente servir de base para uma futura invasão. Porém, todas as comunidades que participaram da invasão estarão sob uma investigação minuciosa de todos os traficantes que participaram”, afirmou o delegado Marcos Vinícius Braga. Relato do G1.

A ação envolve efetivo estimado em mais de mil homens. A ação conta também com o apoio de blindados e helicópteros. As Forças Armadas ficará responsável pelo cinturão no entorno da comunidade e em áreas de mata, permitindo o trabalho dos policiais. 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247