Operador do PSDB repassou R$ 740 mil a integrantes do PCC

Ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, apontado como operador de propinas do PSDB, teria repassado cerca de R$ 740 mil a integrantes do PCC, grupo do crime organizado que atua a partir dos presídios paulistas; acusação é fruto de uma investigação aberta em 2016 e que ainda não foi concluída

Paulo Vieira de Souza repassou R$ 740 mil a integrantes do PCC
Paulo Vieira de Souza repassou R$ 740 mil a integrantes do PCC (Foto: Agência Senado)

O ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, apontado como operador de propinas do PSDB, teria repassado cerca de R$ 740 mil a integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), grupo do crime organizado que atua a partir dos presídios paulistas. A acusação é fruto de uma investigação aberta pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) em 2016 e que ainda não foi concluída. 

Paulo Preto, como Vieira e conhecido, foi diretor da Dersa – estatal que cuida das rodovias do Estado de São Paulo – teria agido como operador de propinas do PSDB durante a gestão de José Serra (2007 -2010). 

Segundo reportagem do UOL, pelo menos 37 pessoas ligadas ao crime organizado nas regiões do Jardim São Francisco e do Jardim Oratório, na zona Sul de São Paulo, e da Vila Iracema, em Barueri, na região metropolitana, teriam recebido indenizações referentes à desapropriação para a realização de obras do trecho Sul do Rodoanel Mário Covas e do prolongamento da avenida Jacu-Pêssego, entregues em 2010. 

Das 37 pessoas que teriam sido beneficiadas indevidamente, 13 possuem passagem pela cadeia por crimes como homicídio, tráfico de drogas e roubo. As investigações apontam, ainda, que uma das indenizações foi paga quando um dos beneficiados já estava preso e um outro quando era considerado foragido da Justiça. Nenhum deles teria direito a receber os R$ 20mil pagos à título de indenização. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247