OSX vai apurar denúncias em contratos da Petrobras

 A empresa do setor naval OSX, que integra o  grupo EBX, do empresário Eike batista, decidiu instaurar procedimento interno para apurar denúncias de irregularidades em operações envolvendo o consórcio Integra, no qual tem participação; consórcio, que também tem a Mendes Jr, como sócio, teria pago R$ 5 milhões visando obter contratos de mais de US$ 900 milhões para a contrução de navios-plataforma da Petrobras; denúncia foi feita por meio da delação premiada do ex-diretor da Petrobras e que também trabalhou na OSX Eduardo Musa

 A empresa do setor naval OSX, que integra o  grupo EBX, do empresário Eike batista, decidiu instaurar procedimento interno para apurar denúncias de irregularidades em operações envolvendo o consórcio Integra, no qual tem participação; consórcio, que também tem a Mendes Jr, como sócio, teria pago R$ 5 milhões visando obter contratos de mais de US$ 900 milhões para a contrução de navios-plataforma da Petrobras; denúncia foi feita por meio da delação premiada do ex-diretor da Petrobras e que também trabalhou na OSX Eduardo Musa
 A empresa do setor naval OSX, que integra o  grupo EBX, do empresário Eike batista, decidiu instaurar procedimento interno para apurar denúncias de irregularidades em operações envolvendo o consórcio Integra, no qual tem participação; consórcio, que também tem a Mendes Jr, como sócio, teria pago R$ 5 milhões visando obter contratos de mais de US$ 900 milhões para a contrução de navios-plataforma da Petrobras; denúncia foi feita por meio da delação premiada do ex-diretor da Petrobras e que também trabalhou na OSX Eduardo Musa (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - A empresa do setor naval OSX disse que decidiu instaurar procedimento interno para apurar denúncias de supostas irregularidades em operações envolvendo o consórcio Integra, no qual tem participação, após matérias na mídia afirmarem que a companhia participou do esquema de pagamentos de propinas na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato.

Segundo matérias da mídia, o ex-gerente da área Internacional da Petrobras Eduardo Musa, que fechou acordo de delação premiada no âmbito da Lava Jato, afirmou que houve pagamentos ilícitos na contratação da montagem de módulos de plataformas da Petrobras, em 2012, com a participação das empresas Mendes Júnior e OSX, reunidas no consórcio Integra. Musa trabalhou como diretor de construção naval da OSX.

"A administração da OSX reuniu-se na data de hoje (quarta-feira) e decidiu instaurar um procedimento interno para apurar, dentro de suas possibilidades, a veracidade dos fatos relatados", disse a empresa em comunicado na noite de quarta-feira.

"A atual administração da OSX ressalta que conduz os negócios da companhia e de suas subsidiárias sempre em

observância das melhores práticas de mercado e não coaduna com qualquer eventual prática de atos em desconformidade com a lei", acrescentou.

A OSX, que tem o empresário Eike Batista como presidente do Conselho de Administração, possui participação indireta de 49 por cento no consórcio. De acordo com as reportagens na mídia, Musa não soube dizer se Eike sabia do pagamento de propinas.

(Por Priscila Jordão)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247