Paes: ação judicial não afeta relação com Dilma

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou que a abertura de uma ação judicial contra a União, sobre a renegociação das dívidas, não afeta a relação com o governo Dilma; o Executivo informou que vai fazer um depósito judicial nesta quarta-feira (25) com o valor restante da dívida com a União; "Não pensem que o fato de a Prefeitura do Rio entrar com uma ação na Justiça contra o governo federal significa uma ruptura política com a presidenta Dilma"

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou que a abertura de uma ação judicial contra a União, sobre a renegociação das dívidas, não afeta a relação com o governo Dilma; o Executivo informou que vai fazer um depósito judicial nesta quarta-feira (25) com o valor restante da dívida com a União; "Não pensem que o fato de a Prefeitura do Rio entrar com uma ação na Justiça contra o governo federal significa uma ruptura política com a presidenta Dilma"
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou que a abertura de uma ação judicial contra a União, sobre a renegociação das dívidas, não afeta a relação com o governo Dilma; o Executivo informou que vai fazer um depósito judicial nesta quarta-feira (25) com o valor restante da dívida com a União; "Não pensem que o fato de a Prefeitura do Rio entrar com uma ação na Justiça contra o governo federal significa uma ruptura política com a presidenta Dilma" (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - O prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou que a abertura de uma ação judicial contra a União, sobre a renegociação das dívidas, não afeta a relação com o governo Dilma Rousseff. O Executivo informou que fará um depósito judicial nesta quarta-feira (25) com o valor restante da dívida com a União, segundo o Bom Dia Rio.

"Não pensem que o fato de a Prefeitura do Rio entrar com uma ação na Justiça contra o governo federal significa uma ruptura política com a presidenta Dilma [Rousseff]. [A dívida] vai ser paga normalmente, a gente pediu na liminar que a dívida fosse paga normalmente. A Prefeitura paga suas contas, seja com quem for", disse o prefeito.

Após uma cerimônia no Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff falou sobre a mudança no cálculo da cobrança das dívidas dos estados e municípios. "Nós estamos fazendo um imenso esforço fiscal. Nós achamos importantíssimo tratar a questão da dívida dos estados. Agora, nós não podemos fazer essa despesa, não temos condições de fazer essa despesa agora", afirmou.

A ação pediu o cumprimento da Lei de Renegociação de Dívidas, sancionada em novembro de 2014 pela presidente Dilma. A medida reduz os juros das dívidas contraídas por estados e municípios com a União. Depois da nova lei, a dívida da Prefeitura do Rio passou de R$ 6 bilhões para R$ 300 milhões, que foram parcelados desde então.

O governo federal cogita mudar os acordos referentes à nova lei por conta do ajuste fiscal definido pela equipe econômica de Joaquim Levy. Segundo a presidente Dilma, "o problema momentâneo, e com todos esses estados nós temos uma parceria estratégica, principalmente com o Rio de Janeiro". "Essa parceria com o Rio de Janeiro é uma parceria histórica, tanto com o prefeito Eduardo Paes, quanto com o governador Pezão", afirmou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247