Pezão reconhece erro da PM no Alemão

"É um erro que ninguém admite"; com essa declaração, o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, admitiu que a Polícia Militar cometeu um grave equívoco na ação que terminou com a morte do menino Eduardo de Jesus, de 10 anos, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio; a criança foi atingida por um tiro de fuzil na cabeça no dia 2 de abril, durante uma operação policial; "Eu falei com o pai do garoto (Eduardo) e vou colocar todo o estado à disposição para dar conforto à família", acrescentou o gestor, após participar de evento nesta tarde na Câmara de Comércio Americana do Rio (AmCham), em Copacabana

"É um erro que ninguém admite"; com essa declaração, o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, admitiu que a Polícia Militar cometeu um grave equívoco na ação que terminou com a morte do menino Eduardo de Jesus, de 10 anos, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio; a criança foi atingida por um tiro de fuzil na cabeça no dia 2 de abril, durante uma operação policial; "Eu falei com o pai do garoto (Eduardo) e vou colocar todo o estado à disposição para dar conforto à família", acrescentou o gestor, após participar de evento nesta tarde na Câmara de Comércio Americana do Rio (AmCham), em Copacabana
"É um erro que ninguém admite"; com essa declaração, o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, admitiu que a Polícia Militar cometeu um grave equívoco na ação que terminou com a morte do menino Eduardo de Jesus, de 10 anos, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio; a criança foi atingida por um tiro de fuzil na cabeça no dia 2 de abril, durante uma operação policial; "Eu falei com o pai do garoto (Eduardo) e vou colocar todo o estado à disposição para dar conforto à família", acrescentou o gestor, após participar de evento nesta tarde na Câmara de Comércio Americana do Rio (AmCham), em Copacabana (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, admitiu, na nesta segunda-feira (13), que a Polícia Militar errou na ação que terminou com a morte do menino Eduardo de Jesus, de 10 anos, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. A criança foi atingida por um tiro de fuzil na cabeça no dia 2 de abril, durante uma operação policial, o que gerou protestos tanto na comunidade onde ocorreu o crime como em Copacabana, na Zona Sul do município do Rio.

O chefe do Executivo disse que a própria PM constatou que houve falha durante a ação na comunidade, e que o caso serve de exemplo para que o estado melhore o treinamento agentes. Segundo Pezão, a tragédia "mostra que cada vez mais temos que treinar melhor nossos policiais".

"É um erro que ninguém admite. Foi uma atuação errada. A PM apresentou os policiais e viu pela localização que tinha tido um erro ali. Quem investigou, quem viu, e quem fez esse trabalho foi a polícia. Eu falei com o pai do garoto (Eduardo) e vou colocar todo o estado à disposição para dar conforto à família", afirmou o gestor, após participar de evento nesta tarde na Câmara de Comércio Americana do Rio (AmCham), em Copacabana.

Pezão ainda classificou como "lamentável" a morte de Eduardo e a de Elizabeth Alves de Moura, que foi atingida com dois tiros nas costas na comunidade da Nova Brasília, no dia 1º de abril.

"Desde o primeiro momento me solidarizei com a família. É muito triste ver um garoto de 10 anos perder sua vida ali, assim como a dona Elizabeth", afirmou.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247