PF investiga postos e distribuidora de combustível em operação contra lavagem de dinheiro do PCC

De acordo com a PF-SP, o PCC usava postos de gasolina para lavar dinheiro. A facção movimentou ao menos R$ 30 bilhões. O Judiciário determinou o bloqueio de R$ 730 milhões de contas bancárias suspeitas

(Foto: REUTERS/Nacho Doce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal em São Paulo realizou nesta quarta-feira (30) uma operação para desarticular um esquema de lavagem de dinheiro do PCC feito por meio de postos de gasolina e uma distribuidora de combustível. A facção, que atua dentro e fora dos presídios brasileiros, movimentou ao menos R$ 30 bilhões. Mais de 70 empresas são investigadas e foram interditadas. Ao todo, 13 pessoas foram presas. 

O Judiciário determinou o bloqueio de R$ 730 milhões de contas bancárias suspeitas. Também foi determinado o bloqueio de 32 automóveis, nove motocicletas, dois helicópteros, um iate, três motos aquáticas, 58 caminhões e 42 reboques e semirreboques.

De acordo com as investigações, o principal alvo era a prisão de um homem conhecido como Alemão - a família dele é dona de cerca de 50 postos. 

Foram cumpridos 43 mandados de busca e apreensão em apartamentos de luxo e empresas nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Bahia. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247