PGR pedirá que Suíça apure conta de Romário

A Procuradoria-Geral da República vai pedir oficialmente ao Ministério Público da Suíça que abra investigações sobre uma suposta conta do senador no país; pedido deve ser enviado nos próximos dias; o parlamentar havia negado ter conta na Suíça, mas, na semana passada, admitiu que já teve uma quando era jogador, mas que não se lembra o ano e nem se já foi fechada

Audiência pública para discutir com os secretários municipais e estaduais das Secretarias Municipais e Estaduais Extraordinárias da Copa de 2014, sobre o andamento das obras que envolvem a Copa do Mundo e a situação atualizada dos gastos. Dep. Romario (PS
Audiência pública para discutir com os secretários municipais e estaduais das Secretarias Municipais e Estaduais Extraordinárias da Copa de 2014, sobre o andamento das obras que envolvem a Copa do Mundo e a situação atualizada dos gastos. Dep. Romario (PS (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - A Procuradoria-Geral da República (PGR) vai pedir oficialmente ao Ministério Público da Suíça que abra investigações sobre uma suposta conta do ex-jogador e senador Romário Faria (PSB-RJ) no país europeu. Segundo a Agência Estado, o pedido será enviado nos próximos dias.

Em julho deste ano, a ‘Veja’ divulgou a notícia de que Romário era dono de uma conta no banco BSI da Suíça com um saldo num valor equivalente a R$ 7,5 milhões. A instituição confirmou que o parlamentar não era correntista naquela data e abriu um processo no MP local por causa de um extrato supostamente falso. A revista divulgou um comunicado admitindo o erro e pedindo desculpas ao congressista. O BSI, citado na matéria da Veja, foi o banco que Esteves adquiriu na Suíça.

Na semana passada, uma gravação que levou à prisão do senador Delcídio do Amaral, do banqueiro André Esteves, e do advogado Edson Ribeiro, ex-defensor  sugerem que Romário fez um acordo com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), que mantém boa relação com o banqueiro – Ribeiro defendeu o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró

Segundo a conversa gravada por Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor estatal, o senador Delcídio do Amaral afirma: "Ai tá, pra acabar de complicar ainda mais o jogo aparece o Eduardo Paes com o Pedro Paulo, é, com o Romário”. Depois, Edson Ribeiro comenta: "Ué, fizeram acordo né?". "Diz o Eduardo que fez", afirma Delcídio.

O suposto acordo seria para Romário apoiar a candidatura do secretário executivo do governo do Rio, Pedro Paulo, à prefeitura da capital, caso o ex-jogador não se candidate ao executivo municipal, o que já foi negado pelo senador.

Após a declaração de Delcídio, Ribeiro responde: "Tranquilo. Tinha conta realmente do Romário". Surpreso, o filho de Cerveró questiona: "Tinha essa conta?". O parlamentar petista conclui: "E em função disso fizeram acordo".

Outro lado

Romário disse, neste final de semana, que pediria ao Ministério Público uma investigação com o objetivo de verificar se em algum momento ele foi titular de conta na Suíça. Caso o pedido da PGR for aceito pela Justiça suíça, o BSI poderá, se for exigido, seus dados e explicar em que época o senador teria mantido dinheiro depositado na Suíça.

O jogador, que já havia negado ter contas no exterior, se contradisse, durante entrevista ao Globo. "Quando eu jogava na Europa, tive conta no BSI. Só não sei o ano. Eu não me lembro, mas acredito que se a conta não é movimentada, ela é fechada automaticamente", afirmou.

Sobre o suposto acordo com Paes, Romário negou. "O advogado levanta suspeita sobre um assunto que já foi esclarecido por mim e pelas autoridades brasileiras e suíças. Aqueles que novamente fazem acusações inverídicas claro que responderão à Justiça. Qual a credibilidade do advogado de um bandido, corrupto e responsável por roubar uma das principais empresas do país?", questionou. 

De acordo com ele, a reunião foi para tratar acerca de um projeto sobre acessão de dívida ativa de estados e municípios.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247