Picciani: não há motivo jurídico para impeachment

Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (RJ) discorda da posição do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sobre o pedido de impeachment da presidente Dilma: “Acho pessoalmente que ele se equivocou em aceitar o impeachment. Não vejo motivo jurídico para isso”, afirmou; ele disse que não pode relacionar a situação no Conselho de Ética, onde Cunha é processado, com o caso: “Não sei se ele fez isso. Mas tem que olhar o impeachment pela ótica da Constituição Federal. Misturar esse tema com o conflito político é um equívoco enorme”

www.brasil247.com - Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (RJ) discorda da posição do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sobre o pedido de impeachment da presidente Dilma: “Acho pessoalmente que ele se equivocou em aceitar o impeachment. Não vejo motivo jurídico para isso”, afirmou; ele disse que não pode relacionar a situação no Conselho de Ética, onde Cunha é processado, com o caso: “Não sei se ele fez isso. Mas tem que olhar o impeachment pela ótica da Constituição Federal. Misturar esse tema com o conflito político é um equívoco enorme”
Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (RJ) discorda da posição do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sobre o pedido de impeachment da presidente Dilma: “Acho pessoalmente que ele se equivocou em aceitar o impeachment. Não vejo motivo jurídico para isso”, afirmou; ele disse que não pode relacionar a situação no Conselho de Ética, onde Cunha é processado, com o caso: “Não sei se ele fez isso. Mas tem que olhar o impeachment pela ótica da Constituição Federal. Misturar esse tema com o conflito político é um equívoco enorme” (Foto: Roberta Namour)


Por Miguel do Rosario, O Cafezinho

Ao que parece, a decisão de Cunha foi um ato isolado. Ele não combinou sequer com as lideranças de seu próprio partido.

Se a cúpula do PMDB estivesse interessada no impeachment, jamais o líder da bancada na Câmara, que é onde o processo será votado, se manifestaria tão rapidamente, e de maneira tão contundente contra o impeachment.

Leonardo Picciani é um rapaz novo, mas já é um político experiente, até por vir de uma família de veteranos da política.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não é de esquerda e não é amigo do PT.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A sua fala, porém, é forte indício de que o PMDB não vai embarcar na canoa furada de Eduardo Cunha.

Repare o que diz Picciani: "Não vejo motivo jurídico para isso".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ponto final.

Claro que agora, mais que nunca, tudo dependerá da mobilização da sociedade.

A direita está forte, mas a esquerda, diante de um desafio dessa magnitude, também pode surpreender.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

***

Acaba de sair no Valor.

Foi equívoco aceitar impeachment, diz líder do PMDB na Câmara

Por Raphael Di Cunto e Thiago Resende | Valor

BRASÍLIA - Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (RJ) discordou da posição de seu correligionário, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que nesta quarta-feira aceitou o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff por suposto crime de responsabilidade fiscal, que será analisado agora pelo Congresso.

“Acho pessoalmente que ele se equivocou em aceitar o impeachment. Não vejo motivo jurídico para isso”, afirmou o pemedebista. Picciani disse que não pode relacionar a situação no Conselho de Ética, onde Cunha é processado, com o impeachment. “Não sei se ele fez isso. Mas tem que olhar o impeachment pela ótica da Constituição Federal. Misturar esse tema com o conflito político é um equívoco enorme”, disse.

Para o líder do PT, Sibá Machado (AC), os "responsáveis por essa safadeza" são o PSDB. "O padrinho por trás do Eduardo Cunha é o PSDB", afirmou.

O líder do governo, José Guimarães (PT-CE), convocou os líderes de partidos aliados para uma reunião de emergência em seu gabinete agora.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email