PM de Minas fixa tuíte que responde Dilma Rousseff sobre “ação fascista”

Publicação exposta no topo da página do Twitter da corporação provocou ironias de apoiadores do governador Romeu Zema, do Novo, que é aliado de Jair

Polícia Militar de Minas Gerais e Dilma Rousseff
Polícia Militar de Minas Gerais e Dilma Rousseff (Foto: Reprodução | Ederson Casartelli)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Após operação terrorista para despejar 450 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) que ocupavam há mais de 20 anos a área do Quilombo Campo Grande, em Campo do Meio, sul do Estado, a Polícia Militar de Minas Gerais fixou uma resposta ao tuíte da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) no topo do perfil oficial da corporação na rede social.

“Não conseguimos entender o que a senhora quis dizer”, diz o tuíte da PM de Minas, que é comandada pelo governador Romeu Zema, do Partido Novo. A resposta, no entanto, foi publicada 10 minutos depois do tuíte da presidenta, às 15h50. Dilma, no entanto, havia apagada o tuíte para republicar 40 minutos depois.

Na publicação, Dilma diz que ” própria PM está filmando e exibindo a sua ação truculenta contra os moradores do Quilombo Campo Grande, em Minas. Isto significa, literalmente, um ato de guerra híbrida e uma ação fascista”.

A exposição da resposta feita pela PM de Minas provocou ironias de apoiadores do governador do Novo, que é um dos poucos governadores que ainda estão na base de apoio de Jair Bolsonaro.

Confira a reportagem completa na Revista Fórum.


O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247