PM transmite a própria morte na web e diz: “minhas contas vão vencer, Pezão”

O policial militar do Rio de Janeiro cometeu um suicídio e transmitiu o ato ao vivo em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio; ao veicular as imagens, o soldado Douglas de Jesus Vieira, de 28 anos, se comunicava com pessoas que acompanhavam a transmissão antes de cometer o suicídio; ele tinha seis anos na corporação e era lotado no 24º BPM (Queimados)

O policial militar do Rio de Janeiro cometeu um suicídio e transmitiu o ato ao vivo em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio; ao veicular as imagens, o soldado Douglas de Jesus Vieira, de 28 anos, se comunicava com pessoas que acompanhavam a transmissão antes de cometer o suicídio; ele tinha seis anos na corporação e era lotado no 24º BPM (Queimados)
O policial militar do Rio de Janeiro cometeu um suicídio e transmitiu o ato ao vivo em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio; ao veicular as imagens, o soldado Douglas de Jesus Vieira, de 28 anos, se comunicava com pessoas que acompanhavam a transmissão antes de cometer o suicídio; ele tinha seis anos na corporação e era lotado no 24º BPM (Queimados) (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - O policial militar do Rio de Janeiro cometeu um suicídio e transmitiu ao vivo o ato na madrugada deste domingo (29) em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio. Ao veicular as imagens, o soldado Douglas de Jesus Vieira, de 28 anos, se comunicava com pessoas que acompanhavam a transmissão antes de cometer o suicídio. Ele tinha seis anos na corporação e era lotado no 24º BPM (Queimados). 

O 16º BPM (Olaria) chegou ao local e encontrou o policial morto em sua cama, com uma pistola Taurus ao seu lado. Havia cinco munições. Também foi apreendido o celular com o qual Douglas transmitiu a morte.

Recentemente, ele havia feito nas redes sociais uma paródia da música "Deu Onda", citando a crise no estado do Rio que dificulta o pagamento de diversas categorias, incluindo a PM. O Rio foi a primeira unidade federativa a decretar estado de calamidade financeira.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email