Polícia atira, joga bombas e acaba com carnaval de rua em Joinville (vídeo)

Depois de conter uma briga entre foliões, a PM partiu para cima dos foliões atirando balas de borracha e bombas de efeito moral na madrugada deste domingo em Joinville (SC)

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com O Mirante - Aterrorizante. Assim foi o fim da festa de Carnaval de Joinville, interrompida por tiros de bala de borracha, estouro de bombas de efeito moral e gás de pimenta da Polícia Militar de Santa Catarina. Milhares de pessoas, incluindo idosos e crianças, foram obrigadas a correr para se proteger dos tiros da PM.

Foi por volta de 1 hora da madrugada de domingo (23). Depois de conter uma briga entre foliões, a PM decidiu que atirar contra a população era a melhor forma de conter alguns ânimos mais exaltados. Os primeiros tiros e bombas foram o estopim para mais revolta, de modo que parte dos jovens começou a atirar garrafas e outros objetos nos policiais. A PM, então, partiu para cima de todo mundo, incluindo idosos, mulheres e crianças, atirando a esmo e obrigando todos a correr para longe em busca de um lugar seguro.

A festa, uma das melhores já feitas em Joinville, ainda estava na metade. E ainda estava lotada. Três escolas de samba da cidade ainda iam se apresentar no palco montado em frente ao Centreventos Cau Hansen e milhares ainda curtiam a folia quando a “confusão” começou.

Ao pedir calma para um policial, um folião que montou um dos blocos mais animados da festa ouviu a seguinte resposta do militar: “Vai se foder”. Outro folião, que tentava apaziguar a situação dos dois lados, tomou dois tiros de bala de borracha.

Crianças que compunham as escolas e estavam próximas ao sentiram os efeitos do gás de pimenta. Vários foliões foram atingidos pelas balas de borracha, já que os tiros eram a esmo. Quase uma dezena de jovens que atiraram garrafas e outros objetos na direção dos policiais (nenhum foi atingido, a princípio) foram detidos.

A alegria do Carnaval joinvilense deu lugar à tristeza, imposta pela truculência de uma Polícia Militar que quis acabar com a festa.

Assista ao vídeo:‌

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247