Polícia diz que jovens mortos em Maricá foram vítimas de milicianos

A titular da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, delegada Bárbara Lomba, na manhã desta segunda-feira (26) informou que os cinco jovens assassinados, em Maricá, foram vítimas da ação de milicianos que agem na região; eles foram mortos a tiros dentro do Conjunto Residencial Carlos Marighella, unidade do programa "Minha casa, minha vida", em Itaipuaçu, um dos distritos da cidade

A titular da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, delegada Bárbara Lomba, na manhã desta segunda-feira (26) informou que os cinco jovens assassinados, em Maricá, foram vítimas da ação de milicianos que agem na região; eles foram mortos a tiros dentro do Conjunto Residencial Carlos Marighella, unidade do programa "Minha casa, minha vida", em Itaipuaçu, um dos distritos da cidade
A titular da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, delegada Bárbara Lomba, na manhã desta segunda-feira (26) informou que os cinco jovens assassinados, em Maricá, foram vítimas da ação de milicianos que agem na região; eles foram mortos a tiros dentro do Conjunto Residencial Carlos Marighella, unidade do programa "Minha casa, minha vida", em Itaipuaçu, um dos distritos da cidade (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - A titular da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, delegada Bárbara Lomba, na manhã desta segunda-feira (26) informou que os cinco jovens assassinados neste domingo (25), em Maricá, foram vítimas da ação de milicianos que agem na região. Eles foram mortos a tiros dentro do Conjunto Residencial Carlos Marighella, unidade do programa "Minha casa, minha vida", em Itaipuaçu, um dos distritos da cidade. As vítimas foram Sávio de Oliveira, de 20 anos, Matheus Bittencourt, de 18, Marco Jhonata, de 17, Matheus Baraúna, de 16, e Patrick da Silva Diniz.

De acordo com a delegada, "as armas utilizadas no crime eram pistolas calibre 380, todos os tiros foram dados na cabeça e as vítimas estava perfiladas". "Todas essas características nos levam a crer que os jovens foram assassinados por milicianos", disse.

Atualmente, as milícias estão em 11 municípios da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, de acordo com informações do G1. São cerca de 2 milhões em um território de cerca de 348 quilômetros quadrados.

O objetivo das milícias é coagir pessoas a usar o transporte, a pagar por segurança e pelo sinal de TV, o botijão de gás e consumir água e os alimentos da cesta básica dessas quadrilhas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247