Polícia investiga se Marielle era alvo de grampo em gabinete

A investigação da Delegacia de Homicídios(DH) apura se a vereadora do PSOL Marielle Franco, assassinada há três meses, era alvo de uma escuta telefônica dentro do gabinete na Câmara de Vereadores; a morte de Marielle pode ter sido planejada há pelo menos um ano

A investigação da Delegacia de Homicídios(DH) apura se a vereadora do PSOL Marielle Franco, assassinada há três meses, era alvo de uma escuta telefônica dentro do gabinete na Câmara de Vereadores; a morte de Marielle pode ter sido planejada há pelo menos um ano
A investigação da Delegacia de Homicídios(DH) apura se a vereadora do PSOL Marielle Franco, assassinada há três meses, era alvo de uma escuta telefônica dentro do gabinete na Câmara de Vereadores; a morte de Marielle pode ter sido planejada há pelo menos um ano (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Forum - A investigação da Delegacia de Homicídios(DH) apura se a vereadora do PSOL Marielle Franco, assassinada há três meses, era alvo de uma escuta telefônica dentro do gabinete na Câmara de Vereadores. A nótícia foi publicada nesta quarta-feira no jornal O Globo. Segundo a publicação, a morte de Marielle pode ter sido planejada há pelo menos um ano.

Funcionários do gabinete da vereadora, ao retornarem do recesso das férias no final do ano, notaram que as placas de gesso do teto da sala haviam sido trocadas. Imagens obtidas pela Polícia Civil mostram um homem escalando o prédio da Câmara de Vereadoeres em fevereiro este ano.

Leia a integra

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247