Policial baleado em operação no Alemão morre no Rio; é o segundo PM morto em menos de 24 horas

O policial militar Fellipe Brasileiro Pinheiro, de 34 anos, que foi baleado numa operação no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, morreu na madrugada deste domingo (22). A informação foi divulgada pela Secretaria Estadual de Saúde. É o segundo PM morto em menos de 24 horas

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O policial militar Fellipe Brasileiro Pinheiro, de 34 anos, que foi baleado numa operação no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, morreu na madrugada deste domingo (22). A informação foi divulgada pela Secretaria Estadual de Saúde. A informação é do Portal G1. 

Fellipe Brasileiro tinha 34 anos e foi baleado durante uma operação no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio — Foto: Reprodução/Facebook

Fellipe Brasileiro estava internado em estado grave no Hospital Estadual Getúlio Vargas desde quarta-feira (18) após levar um tiro no peito. A ação policial na comunidade tinha o objetivo de retirar uma cabine da PM da região.

O policial integrava o Grupo de Intervenção Tática da Unidade de Polícia Pacificadora do Alemão. Este episódio foi o segundo em que o ele foi baleado durante uma operação no Complexo do Alemão.

A morte do PM Fellipe Brasileiro foi a segunda em menos de 24 no Rioo. O cabo Leandro de Oliveira Silva, de 39 anos, foi baleado na cabeça e morreu na tarde de sábado (21) em Benfica, Zona Norte da cidade. Ele abordou dois homens que estavam em uma moto roubada e foi morto a tiros. Foi o 44º PM assassinado este ano no estado.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email