Preso ontem, Sadala é apontado como “grande corruptor” pelo MPF

O empresário Georges Sadala Rihan, preso preventivamente ontem na Operação C'est fini (É o fim, em francês), o é apontado pela Lava-Jato no Rio como o "grande corruptor da iniciativa privada" na área de prestação de serviços do Poupa Tempo, sendo peça-chave do esquema de pilhagem do dinheiro público do Estado para enriquecimento ilícito próprio e do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), segundo o Ministério Público Federal (MPF)

Georges Sadala
Georges Sadala (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Preso preventivamente ontem na Operação C'est fini (É o fim, em francês), o empresário Georges Sadala Rihan é apontado pela Lava-Jato no Rio como o "grande corruptor da iniciativa privada" na área de prestação de serviços do Poupa Tempo, sendo peça-chave do esquema de pilhagem do dinheiro público do Estado para enriquecimento ilícito próprio e do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), segundo o Ministério Público Federal (MPF). A prisão dele completa o cerco aos núcleos político e empresarial de Sérgio Cabral, acusado de comandar desvios de mais de US$ 100 milhões

A Lava-Jato no Rio reuniu documentos e informações de delatores que indicam que Sadala usou diversos expedientes para repassar milhões em propina a Cabral. O dinheiro recebido do Consórcio Agiliza Rio e do Poupa Tempo por sua empresa, a Gelpar, circulou por uma intricada engenharia financeira que contou ainda com os serviços do operador Luiz Carlos Bezerra, chegando ao ex-governador por contas titularizadas no exterior, segundo o MPF.

Sadala é apontado como o integrante da organização criminosa que seria liderada por Cabral que mais recebeu ligações dele: 65 de maio de 2014 - quando o pemedebista já não governava o Rio - a março de 2016. Ele ligou para Cabral 36 vezes, totalizando 101 contatos.

As informações são de reportagem de André Guilherme Vieira e Claudia Schüffner no Valor

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247