Prisão de sargento com cocaína tira Carlos Bolsonaro do sério em sessão da Câmara

O filho do presidente Jair Bolsonaro, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL), bateu boca com vereadores que pediram explicações sobre a prisão do sargento que integrava comitiva da viagem de Bolsonaro ao Japão após ser flagrado com 39 quilos de cocaína

247 - O vereador Carlos Bolsonaro (PSC) ficou irritado com a repercussão da prisão do sargento que integrava comitiva da viagem de Bolsonaro ao Japão após ser flagrado em Sevilha, na Espanha, com 39 quilos de cocaína.

Em discurso na tribuna, o vereador Reimont (PT) disse que não se poderia responsabilizar o presidente Jair Bolsonaro pelo fato ocorrido, mas que ele precisava dar uma explicação à nação.

Carlos Bolsonaro então pediu a palavra e partiu para o ataque contra o parlamentar. "O nome da minha família mais uma vez foi citado anteriormente por um vereador que pra mim é um vereador zero a esquerda literalmente, um vereador cabeça de balão, chamado Reimont", disse.

O vereador Tarcísio Motta (PSOL) pediu respeito ao parlamentar e, seguindo o exemplo do seu guru Olavo de Carvalho, Carlos Bolsonaro respondeu: "Respeito é o cacete! Eu respeito quem eu quiser! E você tem que ir pra Venezuela fazer um regime porque está muito gordinho, tá bom?".

Carluxo continuou dizendo que "as informações chegam muito distorcidas", afirmando que os vereadores estavam acusando o seu pai de ser traficante.

Tarcísio pediu questão de ordem e Carluxo retrucou: "Relaxa, fofinho! Relaxa, fofinho!".

O clima continuou tenso e Carlos seguiu o discurso, afirmando que seu pai era a vítima e tentou explicar o ocorrido. "E foi provado que o militar preso em Sevilha, Manuel Silva Rodrigues, ele não tinha qualquer cargo na Presidência. Não estava diretamente ligada à equipe do presidente. Mas é claro que a esquerda vai ignorar esses fatos", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247