Procurador é preso após tentar matar juíza dentro do TRF-3

Testemunhas disseram que o procurador Matheus Carneiro Assunção se movimentava pelo TRF-3, em São Paulo, parecendo estar em surto, intercalando frases sem sentido com frases de efeito sobre acabar com a corrupção no Brasil

www.brasil247.com -


247 - O procurador da Fazenda Nacional Matheus Carneiro Assunção foi preso nesta quinta-feira (3) depois de tentar matar uma juíza na sede do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, em São Paulo.

De acordo com testemunhas, o procurador se movimentava pelo tribunal parecendo estar em surto, intercalando frases sem sentido com frases de efeito sobre acabar com a corrupção no Brasil.

Matheus invadiu o gabinete da juíza Louise Filgueiras, que substituía o desembargador Paulo Fontes que está de féria. De acordo com o site Conjur, ele chegou a acertar uma facada no pescoço dela, mas o ferimento foi leve.

Antes, Matehus procurou o desembargador Fábio Prieto, no 22º andar, que presidia uma sessão de julgamento e não estava no gabinete.

O procurador foi preso em flagrante e aguarda a chegada da Polícia Federal para ser levado da sede do tribunal, na região central de São Paulo.

"Não bastasse a notícia recentemente divulgada de que um Procurador da República pensou em atentar contra a vida de um Ministro do STF, agora temos uma infeliz ocorrência no TRF de São Paulo. Para além de lamentar o ocorrido e se solidarizar com a vítima e todos os colegas do TRF, urge mais uma vez repensar os níveis de segurança das cortes e dos fóruns, em todo o país”, lamentou Jayme de Oliveira, presidente da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB).

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247