Professores protestam em frente à casa de Dornelles

Professores da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) fizeram um protesto em frente à casa do governador em exercício, Francisco Dornelles, no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio; com notas de R$ 100 e R$ 50 falsas, além de cartazes, os servidores cobraram os salários atrasados; a categoria está em greve há mais de três meses e pede um encontro com o chefe do executivo; "Não tem arrego! Você tira o meu salário e eu tiro o seu sossego"", gritavam os professores

Professores da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) fizeram um protesto em frente à casa do governador em exercício, Francisco Dornelles, no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio; com notas de R$ 100 e R$ 50 falsas, além de cartazes, os servidores cobraram os salários atrasados; a categoria está em greve há mais de três meses e pede um encontro com o chefe do executivo; "Não tem arrego! Você tira o meu salário e eu tiro o seu sossego"", gritavam os professores
Professores da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) fizeram um protesto em frente à casa do governador em exercício, Francisco Dornelles, no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio; com notas de R$ 100 e R$ 50 falsas, além de cartazes, os servidores cobraram os salários atrasados; a categoria está em greve há mais de três meses e pede um encontro com o chefe do executivo; "Não tem arrego! Você tira o meu salário e eu tiro o seu sossego"", gritavam os professores (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - Professores da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) fizeram, na manhã desta quinta-feira (23), um protesto em frente à casa do governador em exercício, Francisco Dornelles, no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio. Com notas de R$ 100 e R$ 50 falsas, além de cartazes, os servidores cobraram os salários atrasados. A categoria está em greve há mais de três meses e pede um encontro com o chefe do executivo.

A polícia foi chamada e precisou conter os manifestantes quando Dornelles deixou sua casa, de carro. "Não tem arrego! Você tira o meu salário e eu tiro o seu sossego"", gritavam os professores. Cinco viaturas do Batalhão de Choque foram chamadas.

Os manifestantes relataram que além dos servidores sem salário, 500 funcionários da limpeza foram mandados embora. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247