Promotor tenta ligar movimentos de luta por moradia em São Paulo ao PCC

Promotor de justiça Cassio Roberto Conserino denunciou 19 lideranças ligadas a diversos movimentos de luta por moradia em São Paulo por extorsão e enriquecimento ilícito; ele também disse existir uma “indevida simbiose” entre tais movimentos e organizações criminosas, como PCC, porém não individualizou suas condutas e atuações

(Foto: Marcelo Camargo/EBC)

Revista Fórum - No último dia 11 de julho, o promotor de justiça Cassio Roberto Conserino denunciou 19 lideranças ligadas a diversos movimentos de luta por moradia em São Paulo por extorsão e enriquecimento ilícito. O promotor afirma existir uma “indevida simbiose” entre tais movimentos e organizações criminosas, como PCC (Primeiro Comando da Capital). As evidências para isso seriam encontradas em interceptações telefônicas.

A denúncia ocorre quase um mês depois que líderes de movimentos de moradia tiveram sua prisão preventiva decretada. Conforme a Ponte Jornalismo apurou, Conserino baseia sua denúncia e implica as lideranças desses movimentos a partir de Ananias Pereira dos Santos, apontado como líder do MLSM (Movimento de Luta Social por Moradia), que ocupava o edifício Wilton Paes de Almeida, cujo incêndio e desabamento, em 2018, matou sete pessoas.

Partindo da investigação da Polícia Civil sobre o aluguel que muitas famílias pagavam para morar na ocupação do MLSM – e que no caso de inadimplência seriam expulsas até com a ajuda do PCC -, o promotor estende a denúncia para as lideranças de movimentos sem individualizar suas condutas e atuações.

Leia a íntegra da reportagem na revista Fórum.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247