Protesto contra Dilma reúne 20 pessoas no Rio

A manifestação pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff programada para esta quarta-feira (11), no Centro do Rio de Janeiro, reuniu apenas 20 pessoas; cerca de 200 policiais militares acompanharam os manifestantes; protesto foi organizado por Maicon Freitas, que foi candidato a deputado federal pelo PT do B nas últimas eleições, após sair nas páginas amarelas da revista Veja como um dos líderes dos protestos contra a presidente Dilma e o PT; "O movimento é do povo. Não vamos barrar quem pensa diferente de nós. Não sou 100% contra intervenção militar, mas primeiro precisamos tentar (o impeachment) pelas vias legais", disse Freitas

A manifestação pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff programada para esta quarta-feira (11), no Centro do Rio de Janeiro, reuniu apenas 20 pessoas; cerca de 200 policiais militares acompanharam os manifestantes; protesto foi organizado por Maicon Freitas, que foi candidato a deputado federal pelo PT do B nas últimas eleições, após sair nas páginas amarelas da revista Veja como um dos líderes dos protestos contra a presidente Dilma e o PT; "O movimento é do povo. Não vamos barrar quem pensa diferente de nós. Não sou 100% contra intervenção militar, mas primeiro precisamos tentar (o impeachment) pelas vias legais", disse Freitas
A manifestação pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff programada para esta quarta-feira (11), no Centro do Rio de Janeiro, reuniu apenas 20 pessoas; cerca de 200 policiais militares acompanharam os manifestantes; protesto foi organizado por Maicon Freitas, que foi candidato a deputado federal pelo PT do B nas últimas eleições, após sair nas páginas amarelas da revista Veja como um dos líderes dos protestos contra a presidente Dilma e o PT; "O movimento é do povo. Não vamos barrar quem pensa diferente de nós. Não sou 100% contra intervenção militar, mas primeiro precisamos tentar (o impeachment) pelas vias legais", disse Freitas (Foto: Paulo Emílio)

Rio 247 - A manifestação pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff programada para esta quarta-feira (11), no Centro do Rio de Janeiro, reuniu apenas 20 pessoas. O protesto foi organizado pelo técnico em segurança do trabalho Maicon Freitas que foi candidato a deputado federal pelo PT do B nas últimas eleições após sair nas páginas amarelas da revista Veja como um dos líderes dos protestos contra a presidente Dilma e o PT.

Cerca de 200 policiais militares fazem a segurança da passeata. A manifestação foi marcada nas redes sociais saiu em passeata às 16h30. A Avenida Rio Branco chegou a ser fechada pelo grupo, que seguiu em direção à sede da Petrobras, na Avenida República do Chile, onde chegaram às 17h. Chegaram até à empresa 39 pessoas, sendo 15 delas segurando cartazes.

Os manifestantes dizem que integram as organizações: Extermínio, Brasil Livre, Revoltados on Line, Cariocas Direitos e União Contra a Corrupção (UCC). 

Segundo Maicon Freitas, que integra a UCC, o movimento é apolítico e pretende "marcar território" para as manifestações contra a presidente Dilma marcadas para o próximo domingo (15). "O movimento é do povo. Não vamos barrar quem pensa diferente de nós. Não sou 100% contra intervenção militar, mas primeiro precisamos tentar (o impeachment) pelas vias legais", disse.

 

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247