Protestos contra Bolsonaro e imagem de Marielle provocam demissões em Universidade do Rio

As professoras Amanda Mendonça e Laila Domith, da Universidade Estácio de Sá, um dos maiores grupos de ensino privado do país, tiveram calendários com a imagem da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL) arrancados de suas salas. Depois receberam pedidos para que se desculpassem e não participassem de protestos contra o governo Bolsonaro

247 - Duas professoras da Universidade Estácio de Sá, um dos maiores grupos de ensino privado do país, foram demitidas e acusam o diretor do campus em que atuam, no Centro do Rio de Janeiro, de perseguição ideológica. É o que informa a coluna de Guilherme Amado, na Revista Época.

Amanda Mendonça e Laila Domith tiveram calendários com a imagem da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL) arrancados de suas salas. Depois receberam pedidos para que se desculpassem e não participassem de protestos contra o governo Bolsonaro. 

Mendonça, que coordenava o curso de pedagogia, é ex-assessora de Marielle Franco. Domith, demitida na semana passada, é ex-coordenadora adjunta de Direito, e entrou com uma denúncia no Ministério Público do Trabalho contra a Estácio.

De acordo com a docente, o diretor afirmou que o calendário e suas postagens nas redes sociais tinham sido objeto de uma denúncia por “propaganda ideológica”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247